,

Pesquisa personalizada
User-agent: Mediapartners-Google* Disallow:
Mostrando postagens com marcador ARTESANATO. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ARTESANATO. Mostrar todas as postagens

29 de jan de 2017

Metformina emagrece ?

Essa é uma dúvida de muitas pessoas, uma vez que o cloridrato de metformina é um medicamento que se tornou popular ao ser constatado que os diabéticos perdem peso ao tomá-lo.



O que é a metformina?

Esse remédio, inclusive, é um dos mais usados por quem possui diabetes tipo 2.
Vale lembrar que, diferente da diabetes tipo 1, a tipo 2 não se caracteriza pela deficiência na produção de insulina.
Os diabéticos tipo 2, na verdade, possuem resistência nas suas células à ação da insulina.
Dessa forma, não usam majoritariamente para tratar o seu problema doses de insulina, mas sim, hipoglicemiantes orais, como o cloridrato de metformina.
Para entender como o remédio funciona, é preciso compreender os seus três efeitos principais no organismo.

Quais são os efeitos da metformina no organismo? 

O primeiro deles é controlar os níveis de glicose no sangue, uma vez que o cloridrato de metformina ajuda o fígado a reduzir a sua produção.
Outro efeito é ajudar a insulina do organismo a funcionar melhor, a partir do momento em que torna as células mais sensíveis a ela.
Por fim, o fármaco colabora para que a quantidade de glicose absorvida no trato gastrointestinal seja menor, e por consequência, a glicose no sangue também reduz.
Além dos efeitos positivos em quem possui a doença, os portadores que fazem uso da metformina costumam emagrecer, ou ao menos, não ganhar mais peso, por consequência do tratamento.
Vale lembrar ainda que a diabetes tipo 2 está associada à obesidade, já que a resistência à insulina é, muitas vezes, um dos motivos do ganho de peso.
Assim, como os níveis de açúcar no sangue diminuem com o remédio, o diabético pode perder peso.

A resistência à insulina, que causa a diabetes tipo 2, tem como origem o consumo em demasia de carboidratos, que exige do pâncreas uma maior produção de insulina.
Essa, por sua vez, é um hormônio que está associado ao acúmulo de gordura.
Assim, quanto mais insulina o pâncreas secreta, maiores são os riscos do organismo acumular gordura.
Embora pareça que a metformina emagrece, a verdade é que não é tão simples assim.

-->

boazinhas o tempo todoNão. É só prestar atenção

fonte
Ninguém é necessariamente bonzinho o tempo todo, a realidade é esta. Não somos perfeitos, logo, onde há bondade demais sem nenhuma reclamação, devemos manter os dois pezinhos lá atrás. Sim. Os dois. Eu costumo acreditar naquela história do “se eu passar e minha sombra estiver torta na parede, eu volto e passo outra vez”.
Dai você diz: Ah, mas peraí, também não podemos viver desconfiando de tudo e de todos, né?
Ei, olhe em sua volta, é o mundo! Junte-se!
Você é perfeito? Existe alguém perfeito? Não. É só prestar atenção. É só ativar o seu desconfiômetro. Todo mundo tem seu momento de fúria. Todo mundo um dia explode. Se nunca explodiu, explodirá. Acredite. Por mais calmo que seja. O “concordar” com tudo o tempo todo é bondade demais para um ser humano, mesmo se este for o “Papa”, afinal até ele discorda e tem opinião PRÓPRIA.
Pessoas que se mostram boazinhas o tempo todo e vivem fazendo propaganda disso, normalmente são dignas de uma boa observação. Sabe quando a pessoa é efusiva demais? Muitos abraços, muitos sorrisos…Fazem-se de bobos para se dar bem com os outros e NUNCA agradecem OLHO NO OLHO.
A propaganda que vendem é a de que possuem um ótimo coração e são as melhores pessoas deste mundo. Ah, e sempre concordam com tudo. Em absoluto.
A realidade é uma só. Ninguém faz nada de graça pra ninguém.
Alguma vantagem o “bonzinho demais” quer. Ou esta bondade toda tem haver em querer agradar a família para conquistar o marido, ou na pior das hipóteses para puxar o tapete alheio.
Sorte daqueles que possuem amigos “rebeldes”. Rebeldes de se “rebelar” mesmo. Daqueles que falam tudo o que pensam na hora, discutem, tem opinião formada e nunca escolhem o verde porque você gosta de verde. Amigo não é aquele que passa a mão na sua cabeça o tempo todo e sim aquele que briga, discute e te empurra pra frente a base do tapa, se descobrir que só assim você vai conseguir entender. Não quero semear a discórdia, mas comece a reparar naquele seu pseudo-colega que vive puxando seu saco, fazendo todas as suas vontades sem você pedir, que concorda até em ir para o Alasca contigo nas férias de verão, que está sempre pregando a teoria do “meu coração é enorme e eu tô aqui só pra agradar a tudo e a todos”. Sério. Alguma coisa este povo quer. E você só vai descobrir de duas formas: Ou no dia que esta pessoa conseguir o que queria (e daí você não vai servir mais pra nada) ou quando conseguir puxar seu tapete.
-->

18 de ago de 2014

Witchetty Grub - Iguaria Australiana.

--> Tudo o que os profissionais de beleza precisam saber sobre cabelos e cosméticos, além das novidades do mercado. nossa loja -http://ecabelos.mercadoshops.com.br/ face -https://www.facebook.com/ecabelos

Witchetty Grub - Iguaria Australiana.

Vamos falar sobre Witchetty grub
Este nome é um termo usado na Austrália para larvas comestíveis de várias mariposas. Especialmente se aplica à larva da mariposa Endoxyla leucomochla, que se alimenta das raízes do arbusto Acacia kempeana, encontrado na Austrália central.
Bom.. esta iguaria é uma comida tipica dos aborígenes australiano,mais que agora dominam restaurantes finos  de Sidney, capital Australiano.
Dizem que ao morder esta larva estoura uma quantidade enorme de pus na boca com gosto de madeira. alem do seu corpo ser parecido com chiclete .rsrsrs

Quem gosta de comidas exôticas e ir para Austrália não pode deixar de comer esta Iguaria.
Eu mesmo depois de Assistir o programa da Discovery A Prova de Tudo, me recuso a comer esta Iguaria..rsrsrs
Quem não assistiu este episodio , segue o link deste momento(http://www.youtube.com/watch?v=X5oM7GAVSp8).



Abraços e até a próxima

Pastel da Carélia - Iguaria Filandêsa

--> Tudo o que os profissionais de beleza precisam saber sobre cabelos e cosméticos, além das novidades do mercado. nossa loja -http://ecabelos.mercadoshops.com.br/ face -https://www.facebook.com/ecabelos

Pastel da Carélia - Iguaria Filandêsa

Pastel da Carélia (ou karjalanpiirakka, em finlandês) é um pastel tradicional da culinária da Finlândia, mais concretamente da região da Carélia. Os pastéis da Carélia constituem uma denominação de origem protegida, de acordo com as normas da União Européia. Embora tenham tido origem na parte oriental da Finlândia, é possível encontrá-los em todo o país, na maior parte das pastelarias.
A massa é preparada com farinha de centeio, podendo o recheio ser confeccionado com arroz ou com batata.

A partir da massa, são produzidos discos muito finos, com cerca de 10 cm de diâmetro. Sobre estes é colocado o recheio. As extremidades são dobradas de fora para dentro em cerca de 1 cm, por forma a se obter um rebordo e um aspecto oval. Os pastéis são, depois, cozidos em forno quente. No fim, são pincelados com uma mistura de leite e manteiga, podendo ser barrados com uma mistura de ovo, manteiga (ou requeijão ) e salsa , ou até mesmo acompanhados com presunto.Existem fábricas especializadas na produção destes pastéis, de acordo com as normas estipuladas pela União Européia. Em alguns casos, a produção ascende a 40.000 pastéis por hora numa única fábrica
Quem for para este lindo pais, não pode deixar de experimentar esta iguaria.
Um grande abraço e até a próxima.

19 de jan de 2011

cursos de marcenaria grátis

cursos de marcenaria grátis e programa de computador para marceneiro  – Hoje, independente da área em que você atua, é necessário estar capacitado para enfrentar as modificações e inovações do mercado de trabalho, incorporando e agregando ao seu trabalho as novas tecnologias que surgem. Com esse objetivo que algumas instituições oferecem programas de valorização para diversos profissionais, como o marceneiro. A partir de cursos de formação técnica e prática  que abordam temas como a gestão de mercado e seus clientes, inclusão tecnológica e de serviços, buscam recuperar o mercado deste profissional.
A atividade dos marceneiros se modernizou e muitos profissionais já realizam parte e seus trabalhos com auxílio de programas de computador  para elaborar e até mesmo verificar o resultado do trabalho antes de ele começar a ser feito, dessa forma, esses profissionais além de estarem agregando valor as suas produções, estão garantindo que nada sairá de errado e não correm o risco de perder tempo e dinheiro. Alguns programas ensinam novas técnicas para fabricação de peças, mostrando a melhor forma de economizar e utilizar melhor o material e assim, evitar desperdícios. Além disso, você aprenderá passo a passo como elaborar um plano de corte, pré corte e corte final utilizando diversos tipos de madeira.
Um dos programas para marcenaria grátis e mais baixados é o Domus Cad, ele oferece automatização completa na fabricação de móveis. O software funciona da seguinte maneira, você fornece o modelo de um projeto e o programa um plano de corte compatível com o mesmo, cria um orçamento e disponibiliza todas as etapas do processo de mecanização. Na internet também há a disponibilidade de curso de marcenaria grátis, as vídeo-aulas estão ao alcance de todos.
Selecionamos alguns sites que disponibilizam cursos e programas para marceneiros grátis, basta clicar em um dos links abaixo e fazer o download. Além de aprender novas técnicas e facilitar a elaboração dos seus trabalhos, nos cursos abaixo você que possui um negócio saberá como tornar a sua microempresa mais competitiva e assim, ser reconhecido e ganhar espaço no mercado.
Programas para marceneiros

www.pdf-tuts.com/programa-para-marcenaria.html
www.domuslepton.com/
www.fiepr.org.br/sindicatos/simov/FreeComponent3293content31007.shtml
Curso de marcenaria grátis online
CTT Curso de Marcenaria – Vídeo 1
CTT Curso de Marcenaria – Vídeo 2
Demais vídeos em: www.youtube.com/user/ita1946

9 de dez de 2010

GUIRLANDA natalinas

ENFEITE SUA CASA NO NATAL E AINDA GANHE UM DINHEIRINHO EXTRA

Sugestões para você enfeitar sua casa e vender para os amigos.
Sabe aquela bandeja que você tem em casa e costuma usar nos almoços de domingo? Pois é... ela pode ganhar vida nova se você resolver utilizá-la como uma base para arranjos de mesa.

Você só vai precisar de algumas velas e bolas de natal (prefira as cores tradicionais como vermelho, verde, prata ou dourado) e um pouco de criatividade para fazer um arranjo bem diferente e vistoso. Para dar o toque final, fitas vermelhas e douradas! Um sucesso!!!
Você também pode fazer belos arranjos enfeitando pequenos potes de cerâmicas ou até mesmo vasos de flores. Flores, aliás, são um dos pontos altos da decoração. Dê prioridade a flores vermelhas e brancas. É garantia de elogios.
Outro enfeite que tem tudo para fazer sucesso e é muito fácil e barato é o enfeite utilizando copos e taças. Você pode enfeitar esses materiais com fitas e purpurinas. Aí, é só enchê-los de bolas e dar aquele laço em volta!
Você ainda pode usar as taças na mesa da ceia servida, para colocar frutas variadas. Opte por frutas da estação e com cores diferentes. A idéia é fazer uma taça bastante colorida e convidativa para os olhos e para o estômago.
Não dá para pensar em Natal sem guirlanda não é verdade? Mas nada de pensar que para ter um enfeite destes você precisa sair correndo de loja em loja. Você mesmo pode fazer uma guirlanda utilizando um galho maleável e depois enfeitando com fitas e bolas. Ou então utilizar a opção que mostramos ao lado, que reúne vários porta-retratos formando uma linda guirlanda. No mínimo original, não é verdade?
Presentes... Presentes.. muitos presentes. Não tem nada com mais cara de Natal que vários presentes de cores e tamanhos variados espalhados pela casa. As cores do embrulho precisam ser atrativas e aquele laço de fitas só vai ajudar!
Você ainda pode utilizar gorros de natal como embalagens para seus presentes. Já imaginou que original? E para dar o laço que tal um pequeno pedaço daquele seu pisca-pisca que já não funciona mais? Originalidade e luxo só!
Que tal espalhar algumas gostosuras pela casa? Doces e lembrancinhas são muito bem vindos e todos vão adorar estas surpresas. E não é preciso muito para deixar a comida com cara de festa; é só caprichar no colorido e usar e abusar das geléias que deixam os pratos mais cheios de vida! Uma certeza de agrado para crianças e adultos são os famosos biscoitinhos em formato de figuras natalinas. Eles são bem fáceis de fazer e colocados em uma boa embalagem servem como um delicioso presente.
Natal é tempo de luz e nada melhor do que velas para ilustrar esta data. Você pode utilizar velas de vários formatos: é só privilegiar as cores típicas desta época do ano. E nada de colocar as velas de qualquer jeito em cima da mesa. Faça arranjos utilizando folhas e laços. Valorize o local onde elas serão colocadas e tenha sempre em mente o conjunto da sua decoração.
Fonte: Acesa.com
RECEITAS
GUIRLANDA DE BOTÕES
Achei super criativas essas idéias de guirlandas feitas com botões.O artesanato é fácil e de custo barato e fica uma fofura depois de pronto.
Veja o molde e o passo-a-passo com as imagens. Utilize fitas combinando com os botões, assim seu artesanato de Natal ficará bem delicado.




Fonte: Cacareco.net
Velas de Natal
Veja como fazer um lindo artesanato de natal, uma vela de natal em formato de arvore de natal, para a decoração de natal, neste ano novo natal.
Materiais para a vela de natal:
• 500 g de parafina
• 10 gotas de corante verde
à base de óleo
• Molde de silicone com
gesso em formato de
pinheiro
• Termómetro
• Pavio
• Glitter cristal
• Goma-laca incolor
• Goiva
• Pincel
• Bolinhas metálicas
douradas
• Cola Mariander
• Panela de alumínio
• Cinta de borracha
• Hashi

Passo a Passo de natal
1- Derreta a parafina na panela de alumínio até atingir 90°C. Use o termómetro para medir a temperatura do material.
Pingue o corante verde.
2. Passe o pavio pelo orifício do fundo do molde e fixe-o com o hashi.
3. Feche o molde com a cinta de borracha e complete-o com a parafina tingida.
4. Deixe secar por 3 horas e desenforme.
5. Retire as rebarbas, utilizando a goiva.
6. Use o pincel para aplicar a goma-laca incolor e coloque imediatamente o glitter cristal.
7. Deixe secar por 1 hora e, com a cola Mariander, fixe as bolinhas douradas por toda a vela. Aguarde secagem de 12 horas.

Fonte: www.arteartesanato.com

Árvore de Natal com CD

O que fazer com tanto cds ou dvds riscados, aranhados e inutilizados? De repente me veio a ideia de criar essa Árvore de Natal diferente. E não é que ficou a coisa mais linda?
Então, vamos nos mexer e começar a trabalhar! Os materiais necessários são:
* Em média 10 a 15 cds ou dvds velhos ou inutilizados (dependendo do tamanho que queira montar) caso não tenha pode ser utilizado cds ou dvs virgens;
* Enfeites natalinos (como: laços, fitas, bolinhas coloridas, guirlandas, etc...); * Papelão (para fazer a base da árvore);
* Pistola de cola quente e tinta spray metálica para o acabamento.
(conforme fotos abaixo:)

Com os cds você vai posicionar até formar um triângulo, aqui foi utilizado 10 cds.
Em seguida coloque os enfeites (laços, fitas, bolinhas coloridas, guirlandas, etc...) em cada centro dos cds da maneira que quiser, aí vai depender da sua criatividade.
Para colar os enfeites utilize a cola quente para ficar bem firme para não correr o risco de soltar.



Em seguida, após colar os enfeites, vamos fazer a base para colar os cds. Corte o papelão em 5 tiras de 2,50cm de largura e sobreponha uma a uma até formar um triângulo (se preferir recorte o papelão no formato do triângulo). Após posicionar e colar as tiras de papelão aplique a tinta em spray para o acabamento.


Depois cole com cola quente os cds um a um de maneira que fique bem juntinhos, para não aparecer a base da nossa árvore.
ÁRVORE DE NATAL COM PET

Veja o passo a passo da árvore de natal com garrafas PET. Bem genial, fácil e barato, além de ecologicamente correto.
1º PASSO: Pegue uma garrafa pet lavada e bem limpa de preferência na cor verde (tipo guaraná de 2 litros). Em seguida, com a tesoura corte o fundo da garrafa seguindo a marquinha que existe na própria garrafa para facilitar um corte perfeito.



2º PASSO: Corte a garrafa em tiras com aproximadamente 1,5cm de largura até o fim do gargalo da garrafa. Depois arrendonde as pontas com o auxílio da tesoura cada tirinha cortada.


3º PASSO: Com cuidado utilize uma vela. O segredo da árvore está no efeito que ela vai produzir passando cada tirinha na vela.
ATENÇÃO: Segure bem a fita, à medida que vai passando na vela, para ela não enrrugar muito (senão a fita vai encolher, além do necessário). Dê um espaço aproximadamente de 2cm a cada passada de vela (fazendo um movimento rápido pra cima e pra baixo, como se fosse um vai e vem) até dar um tom escuro nas tirinhas cortadas da garrafa pet.



O tamanho de sua árvore dependerá do número de garrafas que utilizar.
Observe: Na foto usei uma garrafa pet cortada ao meio e pintada com tinta spray dourada, onde passei um cano de ferro enchendo de argamassa o interior da pet, fixando junto com o fundo do vaso. Em seguida, decore ao redor da base onde fixamos o cano com festão.



Para encaixar as garrafas vá colocando uma a uma no cano.
DICA: Corte garrafas menores de 1 litro para ir diminuindo o tamanho e dando forma a sua árvore pet até chegar oa pico da árvore. Em seguida, aplique os enfeites de natal que desejar.
(bolas, pisca-pisca, fitas, laços, cabelo de anjo, etc..)


Lembre-se: O tamanho vai depender da quantidade de garrafas utilizadas. Como base na minha árvore (na foto) usei 35 garrafas pet para um tamando de 1,20m aproximadamente.
Fonte: Blog Sonho de Artesanato- Vívia Riedel

Guirlanda de balas
Material necessário - 1 quilo de bala, de preferência bem colorida - Fita para fazer laço - Alicate de bico - 45 centímetros de arame grosso
Passo-a-passo: Dobre a ponta do arame, fazendo um gancho. Na outra ponta vá colocando as balas, furando a embalagem. Só tome cuidado para não machucar o dedo. Quando pesar, apoie na mesa. Vá ajeitando com a mão. Quando o arame estiver todo coberto por balas, pegue o alicate e faça um gancho na ponta. Prenda um gancho no outro. Agora faça um laço bem bonito, igual ao de um tênis ou então da seguinte maneira: corte um pedaço da fita, dê uma volta, outra volta, aperte no meio e corte as pontas. Dê um nó no meio com outro pedaço da mesma fita. Abra as laçadas. Agora é só prender o laço na guirlanda e pendurar na porta da sua casa. Você pode variar fazendo com balas prateadas ou mesmo colocando bonequinhas. Não é fácil demais?
Sacola de Natal
Novidade: uma caixa-sacola com a carinha do Papai Noel que pode ser reaproveitada depois. É uma versão diferente do tradicional saco de presentes do Papai Noel. Ah, pode ser reaproveitada depois, viu?
Material necessário: - Caixa sacola de MDF, vendida em lojas de artesanato - Tinta PVA de várias cores - Verniz acrílico - Água para molhar os pincéis - 2 rolos de espuma - Pincel de flotar - Pincéis redondos - Lápis preto e caneta permanente para contorno - Risco do rosto de Papai Noel - 20 cm de algodão cru para o bigode - 20 cm corda de sisal - Lixa para madeira - 1 aplique de estrela e 1 de coração - Maquiagem para as bochechas - Cola quente e tesoura
Modo de fazer: O primeiro passo é fazer o fundo com rolinho e tinta branca, mas só do lado de fora. Lixe e passe mais tinta. Depois, mais uma demão, desta vez sem passar a lixa. Deixar secar por 40 min. Para desenhar o rosto do Papai Noel, use carbono. O risco é feito com lápis preto na parte de trás. Para transferir, passe o lápis na frente do desenho. Agora, comece a pintura aquarelada, pintando o gorro com tinta vermelho martini. Coloque tinta somente na ponta do pincel de flotar. A luz e a sombra das cores são pintadas num único momento, sem ter que voltar. Na parte de baixo do gorro, use a tinta pistache. O movimento é o mesmo. Deixe alguns detalhes mais claros, dá um efeito de luz... Do mesmo jeito, comece a pintar o rosto do Papai Noel. Use a tinta cor de pele com água para suavizar o tom. A barba recebe tinta mostarda e a bege serve para fazer um sombreado no rosto, para tirar a palidez. Enfeite o gorro com traços em tons verde oliva e vermelho martini. Faça curvas.
O olho recebe pinceladas pretas e ganha um pouco mais de tinta no contorno. As sobrancelhas são em cor mostarda. Para fazer o nariz do Papai Noel, pinte um aplique de coração na cor bege. Dê uma pincelada de água. Enquanto o desenho seca, use tinta vermelha para pintar a estrela, incluindo as laterais. Isso vai enfeitar o gorro. Depois que a sacola estiver seca, passe verniz acrílico com o outro rolo. Ele deve estar encharcado para não riscar a peça. Deixe secar. Trabalhe agora na lateral da sacola. O rolo distribui a tinta vermelha com movimentos irregulares (na lateral e na parte de trás da sacola). Faça o mesmo dentro da sacola. Para o acabamento da boca da sacola, use a mesma cor de tinta que usou na frente. Faça uma mão de verniz e deixe secar.
Corte três tiras de algodão para fazer o bigode. Juntas, dê um nó não muito apertado, centralize na figura e use a cola quente para terminar. Aplique também o nariz, um pouco tortinho para dar um charme, e a estrela no gorro... A maquiagem nas bochechas dá um tom bronzeado ao Papai Noel. Para realçar o desenho, use a caneta permanente nos olhos, no nariz e na barba. Para finalizar, ajuste a corda de sisal como alça e goteje com uma escova de dentes a tinta mostarda na barba. A caixa-sacola com o rosto do Papai Noel está pronta.
Guirlanda de latinhas
Quer aprender a fazer uma guirlanda de Natal com material reciclado? É super fácil e ajuda a eliminar alumínio do meio ambiente. Esse objeto de decoração é feito com latinhas de bebida que iriam para o lixo.
Material necessário: - juta - 13 latas tingidas com spray dourado - 1,20 m de arame - bastidor - fita de juta vermelha - abridor de latas - alicate de bico - martelo - tinta spray nas cores verde e dourado
Modo de preparo: Com o abridor, faça um furo em cada lado da latinha. Repita a operação em todas as latas. Tire os lacres. Passe o arame entre os buracos das 13 latas. Depois, torça e amasse as latas com o martelo. Tome muito cuidado para não machucar as mãos. Pronto! Agora acerte as latas sobre o bastidor, tomando cuidado para que a parte do fundo fique para cima. Deixe um espaço de 0,5 cm entre as latas, amarre o arame e faça uma argola. Ela vai servir para pendurar a guirlanda depois. Corte 4 tirinhas de juta e amarre em cima, embaixo e dos lados para juntar o arame ao bastidor. Forre a mesa, coloque luvas e dê algumas espirradas de spray verde nas latinhas. Deixe secar por 30 min. Enquanto isso, faça um quadrado com a juta de 50 cm x 50 cm.
Dobre em quatro e corte um círculo de 7,5 cm. Arredonde os 4 cantos da juta. Com as latas secas, chegou a hora de finalizar a guirlanda. Coloque-a em cima da juta. Faça cortes no tecido entre todas as latas, na parte externa e também na interna. Corte tirinhas de juta, passe entre as latas e dê nó. Na emenda do arame, passe duas tirinhas para o acabamento ficar bem legal. Com o bico da tesoura, desfie as pontas da juta. Pegue a fita vermelha e passe entre as latas, sem cortar. Para a guirlanda ficar bem bonita, faça um laço e coloque na parte de cima. Fica um enfeite bem rústico.
Fonte: Mais Você

17 de nov de 2010

acrilico como colar

COLAGEM
Chapas de acrílico podem ser coladas com solventes e adesivos formando uniões fortes, duráveis e transparentes.
RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA
Devido a toxidade da maioria dos componentes das colas para acrílico, o processo deve ser efetuado em ambientes bem ventilados e com proibição de fumar, além de evitar contato direto com a pele.
PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE
  • Para boa aderência da cola, as superfícies do acrílico devem estar isentas de gordura ou de adesivos dos filmes de proteção;
  • Recomenda-se usar éter ou aguarrás para limpeza;
  • Outra precaução é a eliminação de tensões provenientes de processos de moldagem, através de tratamentos térmicos;
  • Se o corte feito com serra apresentar imperfeições, deve ser lixado até atingir esquadramento correto;
  • Nunca se deve polir as superfícies a serem coladas, pois a cola não teria boa aderência e as áreas de contato seriam reduzidas pelo arredondamento das bordas.
Se você pretende colar uma chapa acrílica a outras, tem as seguintes opções:
  • Colas a base de solvente;
  • Soluções de polímero em solvente;
  • Colas a base de polímero.
Colas a base de solventes
  • Possui secagem ultra rápida, devendo ser aplicada por meio de seringa;
  • Juntam-se previamente as partes a serem coladas, despejando-se a cola por meio de seringa na região da junta;
  • É recomendada para uma ampla gama de aplicações, de displays a sinalização de interiores;
  • Não é indicada para peças expostas a intempéries ou usos industriais, onde as uniões são submetidas a esforços mecânicos.
Colas polímero em solvente
  • Trata-se de cola viscosa, cristalina, sendo aplicada em superfícies que rapidamente se juntam;
  • Age dissolvendo o acrílico, com a evaporação do solvente e deposição do polímero na junta;
  • Seca em algumas horas deixando uma junta cristalina e uniforme;
  • Pode ser aplicada com bisnaga plástica, seringa ou ainda com pincel;
  • Estas uniões revelam maior resistência ao intemperismo e maior adesão que a colagem feita com colas a base de solventes.
Colas a base de polímero
  • Cola de alta viscosidade e preparada no momento de usar, juntando-se dois componentes para polimerização: cola (MMA) + catalisador;
  • Apresenta alta transparência e cristalinidade, garantindo elevada resistência mecânica, perfeita estanqueidade e prolongada resistência a intempéries;
  • A firmeza destas uniões se assemelham ao do próprio material acrílico;
  • Se utiliza geralmente em uniões onde as partes não se assentam corretamente, sendo necessário aporte de material.
Tipos de Uniões
  • Face a face
  • Sobreposto
  • A 45º
  • A 90º
  • Perpendicular
Técnica de colagem por capilaridade
  • Método mais popular para colagem de chapas de acrílico pela capacidade do adesivo + solvente penetrar facilmente na área de união;
  • As partes a colar devem se ajustar de forma precisa;
  • A cola é injetada através de seringa com agulha, ao longo de interstício deixado pelas superfícies a colar, permitindo ao solvente penetrar por capilaridade ao longo da área determinada;
  • Cola em demasia pode arruinar as zonas adjacentes e se for escassa as uniões ficarão frágeis.
Técnica de colagem por imersão
  • Estender uma tela metálica dentro de uma bandeja e depositar o solvente até cobrir a tela;
  • Submergir somente a borda de uma das peças a unir diretamente no solvente, dentro da bandeja;
  • Apoiar a chapa sobre a tela perpendicularmente por 1 a 5 minutos, dependendo da espessura, do tipo de solvente e da força de colagem requerida;
  • Tempo de imersão deve ser suficiente para que a chapa se inche, eliminando-se o excesso de solvente e imediatamente colocar a peça sobre a outra superfície a unir;
  • Mantenha as peças unidas sem pressionar por 30 segundos, permitindo que o solvente atue sobre a superfície da outra peça. Depois desse tempo aplique pressão uniforme para retirar as bolhas de ar que permaneceram.
Outras técnicas de colagem
  • Adesivos com aplicação em aerossol;
  • Adesivos em fitas de dupla face transparentes ou opacas;
  • Pistola de ar quente, ajustadas eletronicamente quanto a temperatura e velocidade do fluxo de ar;
  • Para trabalhos muito especiais utiliza-se método por ultra-som, com tempos de execução muito curtos.
OS SEGREDOS DA COLAGEM REVELAM A BELEZA DO ACRÍLICO
A utilização correta da cola à base de solventes é uma das peculiaridades do setor. A cola à base de solventes, ou cola rápida, exige do aplicador alguns conhecimentos mínimos para oferecer maior rendimento. Com o objetivo de facilitar a compreensão de seus segredos, e assim evitar "bolhas" e o "embranquecimento" das peças após uma colagem mal realizada, é importante que o aplicador esteja atento para detalhes que se revelam fundamentais no processo de colagem.
Em primeiro lugar, as superfícies a serem coladas devem estar absolutamente lisas, planas, limpas e desengorduradas, para que haja uma aderência perfeita entre elas, o que pode ser obtido com uma usinagem feita por torno, tupia, desempenadeira ou fresa. As partes que estarão em contato devem ser limpas com tecido umedecido em álcool, éter ou aguarrás. Recomenda-se, também, a retirada de pequenas sobras dos filmes de proteção que acompanham as chapas e podem ser um empecilho para uma boa colagem. As chapas não devem ser polidas antes da colagem.
Por apresentar secagem rápida, não é aconselhável para peças ficarem expostas às intempéries ou para usos industriais, ou mesmo para peças que podem ser submetidas a esforços mecânicos. Para realizar uma colagem com ângulo de 90 graus, utiliza-se a ajuda de fitas adesivas, grampos ou qualquer outro recurso para fixar o posicionamento das partes, e aplica-se a cola com o auxílio de uma seringa ou uma bisnaga, adaptadas ao bico aplicador.
Também é possível realizar o mesmo processo derramando uma camada fina de cola em uma bandeja rasa de vidro ou alumínio e deixando a superfície a ser colada por 20 ou 30 segundos em contato com a cola no fundo da bandeja, antes de aplicá-la à superfície em que será colada definitivamente. Tipos de uniões face a face sobreposto 45º perpendicular.
Deve-se aguardar uma hora antes de qualquer manuseio, e até doze horas antes das demais operações de acabamento. Por se tratar de produto tóxico, a cola para acrílico deve ser manuseada em local arejado (de preferência em capelas com exaustão de vapores), com uso de luvas, óculos e máscaras. Se for inalada, pode causar náuseas, tontura, e convulsões, afetando o sistema nervoso central e o sistema cardior-respiratório. Evite o contato com a pele e mantenha o frasco com o produto longe de crianças e pessoas não habilitadas.
COLA ACRÍLICA COM CATALISADOR
Produto de alta transparência e bastante cristalino, essa cola de alta viscosidade deve ser preparada com o auxílio de um componente catalisador.
A cola acrílica com catalisador garante elevada resistência mecânica à junta colada, permitindo trabalhos resistentes à pressão e esforços mecânicos e oferecendo, ainda, grande resistência às intempéries. É a única cola que permite obter juntas quase invisíveis e com resistência próxima à do próprio acrílico.
Para conseguir o efeito desejado, misture a cola com o catalisador na proporção de 25:1 (ex: 25 ml de cola para 1 ml de catalisador). Homogeneizar por 1 minuto em recipiente bem limpo, de vidro ou polietileno. Completada a mistura, espere até as bolhas subirem para a superfície da cola e transfira o produto sem bolhas para uma bisnaga flexível, ou seringa plástica. Após ser preparada, a cola deve ser utilizada em até 20 minutos, pois sua viscosidade aumenta progressivamente, dificultando a aplicação.
As superfícies a serem coladas devem estar limpas e desengorduradas. Proteja as áreas próximas à região a ser colada com fitas adesivas ou filmes plásticos. Aplique a cola em uma das partes e mantenha a peça posicionada em gabaritos. Mantenha o objeto pressionado por até 60 minutos, até o endurecimento da cola. A usinagem do material colado deve ser realizada apenas depois de um intervalo de 24 horas.
Cuidado com alguns materiais que amarelam a cola e retardam seu endurecimento como borrachas, madeiras, álcool ou a parte colante das fitas adesivas. Não é necessário polir as partes a serem coladas. Não utilize a cola em temperatura ambiente inferior a 20ºC, pois ela deve ser utilizada entre 20ºC e 25ºC (é possível aquecê-la em banho-maria).
Caso a cola demore mais de 60 minutos para endurecer, descarte o catalisador, que deve ser conservado em ambiente refrigerado com até 10ºC. Por ser inflamável, o produto deve ser mantido longe do fogo. Em caso de acidente, use pó químico seco para apagar. Armazene o produto longe de crianças e pessoas não-habilitadas. Procure trabalhar em ambientes refrigerados ou em capela com exaustão de vapores. Use máscaras, óculos e luvas na hora do manuseio.
ETAPAS
1. Medir a cola com uma proveta graduada ou uma seringa hipodérmica de plástico de 25 ml. COLA CAT.
2. Usar recipiente limpo de vidro ou polietileno (plástico flexível) e um bastão de vidro ou uma tirinha do próprio acrílico para misturar. COLA + CATALISADOR = 25 ml = 1 ml (25 gotas)
3. O catalisador pode ser usado em gotas (1 ml de catalisador equivale a 25 gotas). Utilizar um conta-gotas de plástico.
4. Misturar o catalisador e a cola, mexendo por, no mínimo, 1 minuto.
5. Deixar a mistura em repouso por 5 minutos ou o tempo necessário para as bolhas subirem até a superfície e o líquido ficar límpido e isento de bolhas.
6. Transferir para uma almotolia (bisnaga) de polietileno ou para uma seringa sem agulha.
7. Aplicar sobre o acrílico. Usinar as peças em ângulo (chanfradas) para formar um depósito de cola. Colagem em Topo Colagem em 90º
8. Após o endurecimento da cola, remover o excesso e dar o acabamento final.

TIPOS DE COLA

Existem três tipos de colas para acrílico:
  • Solventes, tais como: clorofórmio, dicloreto de etileno ou acético, os quais agem dissolvendo a superfície do acrílico e permitindo a fusão das duas faces a serem juntadas.
  • Solução de polímero em solvente, que age da mesma maneira que os solventes, mas deposita polímero nas juntas, após a evaporação do solvente.
  • Solução de polímero em monômero, que age da mesma maneira que os solventes, mas polimeriza na junta ao invés de evaporar. A polimerização do monômero, convertendo-se em polímero, pode ser induzida por um dos três métodos:
    • Ativação química.
    • Radiação ultravioleta na presença de um fotocatalisador.
    • Aquecimento.

ALÍVIO DE TENSÕES

Uma colagem inteiramente satisfatória só é obtida se for realizada uma operação de alívio de tensões, tanto antes, como depois da colagem.

A finalidade dessa operação antes da colagem é dupla. Primeiramente, remove as tensões localizadas que possam estar presentes na chapa acrílica original, ou que possam ter sido causadas por usinagem ou moldagem prévia; em segundo lugar, seca o material. Ambos os fatores, mas especialmente o alívio de tensões, contribuem para reduzir o risco de fissuras posteriores nas peças, ao redor das juntas coladas. A secagem do material diminui a possibilidade de ocorrer "embranquecimento".

BISNAGAS E SERINGAS

Após protegidas com fitas adesivas, as bordas a serem coladas são postas em contato e mantidas num gabarito apropriado, em forma de "V", dentro do qual o solvente ou cola é distribuído por uma bisnaga ou seringa. Deixar permanecer por cerca de 30 segundos. O vão em forma de "V" é firmemente fechado, e a junta presa de leve. Antes da cola estar completamente endurecida, usa-se uma faca afiada para recortar o excesso, facilitando assim, a remoção do material de proteção.

ESPÁTULAS OU PINCEL (PARA COLAS VISCOSAS)

Onde for necessário para limitar o excesso de cola ao redor da junta, essas colas razoavelmente viscosas, podem ser aplicadas às superfícies do acrílico com espátula.

ELIMINAÇÃO DE BOLHAS DE AR

As bolhas de ar prejudicam tanto a resistência, quanto aparência de uma junta acrílica. Elas podem ser evitadas, tendo-se bastante cuidado ao misturar a cola antes da aplicação à junta.

As bolhas também podem ocorrer devido ao umedecimento incompleto das superfícies do acrílico pela cola, como resultado da presença de gordura ou sujeira, ou onde uma superfície usinada de acrílico tiver retido pequenas bolsas de ar.

A limpeza da superfície com clorofórmio ou monômero de metacrilato de metila ajudará a eliminar ambas as dificuldades.

COLAGEM LAMINADA


Essa operação só é realizada satisfatoriamente com o emprego de colas de baixa viscosidade. O ponto essencial é evitar o aprisionamento de bolhas de ar entre as duas lâminas. Para a laminação de pequenas áreas, aplique uma porção de cola sobre o centro de uma das placas, deixando que as bolhas de ar venham para a superfície e arrebentem, abaixando-se, então, a segunda placa lentamente, de modo que o contato seja feito primeiro, num único ponto. Isto força a cola para fora, pelos lados, sem absorção de ar.

Para laminação de áreas grandes, é mais conveniente despejar uma "tira" de cola ao longo de uma lateral da placa e abaixar a chapa de cima, de tal modo que o contato seja feito primeiro ao longo de toda a lateral, e então uma "onda" de cola será forçada transversalmente à laminação. Esse procedimento será bem sucedido, especialmente quando a chapa de cima for de pouca espessura, tendo portanto, bastante flexibilidade. Se, no entanto, algumas bolhas de ar ficarem presas, a sua eliminação poderá ser feita, induzindo-as a caminhar para fora, pela movimentação de pequenos pesos ou pressão manual sobre a superfície da placa superior. Isto provocará a expulsão de excesso de cola pelas bordas e é por isso que se deve usar cola em excesso.

COLAGEM DE TOPO

As bordas usinadas ou serradas de acrílico podem ser coladas, formando junta a topo. É desejável um certo grau de aspereza, porém não excessivo, pois impedirá a cola de umedecer o acrílico completamente. As áreas adjacentes também devem ser protegidas e a cola aplicada somente no local de contato. As duas bordas são então posicionadas e firmemente fixadas até a total secagem da cola.

COLAGEM EM ÂNGULO OU EM " T "


Requisito essencial nesta operação é garantir que fique retida uma quantidade suficiente de cola na junta, durante o período de secagem ou endurecimento. Quando se usar uma cola de baixa viscosidade, a borda em contato com superfície plana deverá ser chanfrada num ângulo de 5º aproximadamente, e a cola aplicada com uma seringa. Esse sistema de junção é muito frágil sob esforços mecânicos, e portanto, é aconselhável usar-se como reforço um filete de acrílico.

COLAGEM A OUTROS MATERIAIS

A diferença entre o grau de ataque às superfícies acrílicas em relação a outros plásticos é um problema que encontramos. Se o material, entretanto, apresentar alguma porosidade, uma boa ligação pode ser obtida. Outro problema é a diferença dos coeficientes de dilatação entre o acrílico e a maioria dos materiais não plásticos, o que pode levar ao enfraquecimento da ligação rígida, principalmente quando exposta a mudanças significativas de temperatura. O filme de cola, em tais casos, deve ser permanentemente flexível, a menos que o ambiente de temperatura constante seja previsto para os componentes colados.

Esses dois problemas podem ser superados com o emprego de adesivos à base de borracha (em solução ou em forma de látex), ou adesivos flexíveis do tipo "tato permanente". As juntas formadas com estes últimos materiais não têm as mesmas propriedades de resistência ao tempo (ao ar livre), do que uma junta feita com colas acrílicas, e têm obviamente uma força de ligação sensivelmente mais baixa. 

http://www.vick.com.br/vick/produtos/acrilico_2/colagem.htm

4 de nov de 2010

LICORES CASEIROS

Licor tipo Vermouth

Ingredientes:
50 gs de Losna
5 ml de essência de Anis
1 kg de açúcar refinado
2 litros de Pinga boa a 80º GL
2 litros de água filtrada
Modo de Fazer:
1 - Com a água e o açúcar, faça uma calda grossa e deixe amornar.
2 - Colocar a calda e todos os ingredientes num vidro e fechar bem.
3 - Deixe macerar por 30 dias ou mais.
4 - Todos os dias, agite 2 ou 3 vezes.
5 - Após os 30 dias, Coe no coador de pano.
6 - Filtre as impurezas em filtro de papel.
7 - Engarrafe e deixe em repouso por 15 dias.
Servir de preferência gelado ou com gelo.

 ovos

Ingredientes:
6 Gemas de ovo (só a gema)
A clara de 2 ovos
2 litros de Leite
1/2 kg de açúcar refinado
1 litro de Álcool de Cereais
Modo de Fazer:
1 - Ferva o leite com o açúcar e deixe descansar.
2 - No dia seguinte, bata as gemas e as claras e despeje no leite, devagar e mexendo.
3 - Agora coloque o álcool bem devagar:
Despeje aos poucos, mexendo sempre.
Obs: Se colocar o álcool muito rápido, empelota.
4 - Deixe descansar por 24 horas.
5 - Coe no coador de pano.
6 - Filtre as impurezas em filtro de papel.
7 - Engarrafe e feche bem.
8 - Aguarde 30 dias para servir.

Licor de Laranja com Mel

Ingredientes:
400 gs de Mel
3 Laranjas grandes
2 Limões
1 pitada de Canela em Pó
2 Cravos da Índia
500 ml de Pinga de boa qualidade (80º)
500 ml de água filtrada
Modo de Fazer:
1 - Corte só as laranjas em rodela finas.
2 - Coloque tudo num vidro e feche bem.
3 - Deixe macerar por 45 dias ou mais.
4 - Agite o vidro várias vezes por dia.
5 - Repita o processo todos os dias.
6 - Após os 45 dias, passe no coador de pano.
7 - E filtre as impurezas no filtro de papel.
8 - Engarrafe e sirva, de preferência gelado.

 

 

Licor de Limão

Ingredientes:
Casca de 6 limões graúdos
1 pitada de Canela em Pó
500 ml de Pinga de boa qualidade (80º)
750 gs de açúcar refinado
1 litro de água filtrada
Modo de Fazer:
1 - Coloque tudo num vidro e feche bem.
2 - Deixe macerar por 45 dias ou mais.
3 - Agite o vidro várias vezes por dia.
4 - Repita o processo todos os dias.
5 - Após os 45 dias, passe no coador de pano.
6 - E filtre as impurezas no filtro de papel.
7 - Engarrafe e sirva, de preferência gelado.

 

Licor de Jabuticabas

Ingredientes:
2 kg de Jabuticabas bem maduras
3 litros de água destilada
1,5 Kg de açúcar refinado
2 litros de Pinga de boa qualidade (80º)
Modo de Fazer:
1 - Lave as jabuticabas e triture bem.
2 - Coloque numa panela com 2 litros de água.
3 - Deixe ferver por 5 minutos.
4 - Junte a Pinga, mexendo bem.
5 - Coloque tudo num vidro grande e limpo.
6 - Deixe em repouso por 8 dias ou mais.
7 - Após os 8 dias, faça uma calda com 0,5 l de água e o açúcar e deixe esfriar até +- 50º para colocar na mistura de jabuticabas.
8 - Deixe em repouso por +-5 dias para decantar.
9 - Passe no coador de pano e no filtro de papel.
10 - Engarrafe e sirva após 30 dias ou mais.

 

Licor de Hortelã com Mel

Ingredientes:
2 kg de Mel
100 folhas verdes de Hortelã
1 litro de Pinga de boa qualidade (80º)
Modo de Fazer:
1 - Coloque num vidro as todas as folhas de Hortelã (lavadas e limpas) junto com a pinga
2 - Deixe macerar por 8 dias ou mais.
3 - Agite o vidro várias vezes por dia.
4 - Após os 8 dias, coe num coador de pano.
5 - Junte o Mel, mexendo bem.
6 - Deixe o xarope em repouso por 4 ou 5 dias.
7 - Passe no coador de pano e no filtro de papel.
8 - Engarrafe e sirva após 30 dias ou mais.

Variação de sabor: Substitua parte das folhas de Hortelã por folhas de Eucalipto.

 

Licor de Festa

Ingredientes:
1 vagem de Baunilha
2 limões
10 Cravinhos picados
5 gs de Nós Moscada
40 gs de Passas
1/2 kg de açúcar
1 litro de Leite
4 litros de água filtrada
1 litro de Álcool de Cereais
Modo de Fazer:
1 - Pegue as passas, cravos, noz-moscada, baunilha e os limões picados e coloque num vidro com álcool e feche bem.
2 - Deixe macerar por 15 dias ou mais.
3 - Coe e esprema bem para extrair o caldo.
4 - Prepare a calda com a água, açúcar e o leite no fogo brando, durante 10 minutos.
5 - Deixe esfriar um pouco e despeje devagar na mistura, mexendo para misturar bem.
6 - Coe no coador de pano.
7 - Filtre as impurezas em filtro de papel.
8 - Engarrafe em garrafão limpo com álcool.

Licor de Goiaba

Ingredientes:
2 kg de Goiabas vermelhas bem maduras
2 litros de água destilada
2 Kg de açúcar refinado
2 litros de Pinga de boa qualidade (80º)
Modo de Fazer:
1 - Lave as goiabas e triture bem.
2 - Coloque numa panela com o açúcar e a água.
3 - Deixe ferver por 30 minutos.
4 - Após esfriar bem, coe num coador de pano.
5 - Junte a Pinga, mexendo bem.
6 - Deixe o xarope em repouso por 3 ou 4 dias.
7 - Passe no coador de pano e no filtro de papel.
8 - Engarrafe e sirva após 30 dias ou mais.

Licor de Erva Mate

Ingredientes:
500 gs de Erva Mate em folhas secas (Chá)
1,5 litros de água filtrada
800 gs de açúcar refinado
1 litro de Álcool de Cereais
Modo de Fazer:
1 - Num vidro, ponha toda a Erva mate em infusão no álcool.
2 - Deixe macerar por 8 dias.
3 - Depois, faça uma calda média (nem rala, nem grossa) com água e açúcar e deixe esfriar.
4 - Coe o Mate com coador de pano.
5 - e junte com a calda já fria.
6 - Deixe em repouso por 24 horas.
7 - Filtre com filtro de papel.
8 - Engarrafe e lacre com parafina.
9 - Deixe em repouso por 30 dias ou mais.

É um licor agradável e estimulante

 

Licor de caroços de Pêssegos

Ingredientes:
1500 ml de água filtrada
30 ou mais caroços de pêssegos
(ligeiramente amassados e de preferência vindos de pêssegos amarelos e maduros)
1 kg de açúcar cristal ou refinado
1 litro de Pinga de boa qualidade
Modo de Fazer:
1 - Em um vidro de boca larga, coloque os todos os caroços de pêssego junto com a pinga.
2 - Deixe macerar por 10 dias.
3 - Após os 10 dias, faça uma calda fina com açúcar e água e deixe esfriar.
4 - Junte a calda ao restante da maceração.
5 - Coe com um coador de pano.
6 - Filtre com um filtro de papel.
7 - Engarrafe e guarde.
8 - Sirva só depois de 30 dias ou mais.

 

 

 

Licor de Curaçau

Ingredientes:
10 gs de casca de Laranja Amarga sem a parte branca
2 gs de Canela em rama
2 cabeças de Cravo da Índia
1/2 kg de açúcar refinado
1 litro de Pinga boa a 40º GL
250 ml de água filtrada
Modo de Fazer:
1 - Em um vidro, colocar a casca de laranja, o cravo, a canela e a pinga.
2 - Deixe macerar por 8 dias ou mais.
3 - Importante: Deixe o vidro exposto ao Sol, o máximo de tempo possível.
4 - Todos os dias, agite 2 ou 3 vezes.
5 - Após os 8 dias, faça uma calda grossa com água e açúcar e deixe esfriar.
6 - Misture a calda no licor, mexendo bem.
7 - Deixe em repouso por mais 5 dias.
8 - Coe no coador de pano.
9 - Filtre as impurezas em filtro de papel.
10 - Engarrafe e etiquete.

Licor de Creme de Chocolate

Ingredientes:
500 gs de Chocolate em pó solúvel
1 colher de sopa de essência de Baunilha
1,7 litros de água filtrada
2 kg de açúcar refinado
1,6 litros de Álcool a 80º GL
Modo de Fazer:
1 - Dissolver o açúcar na água e ferver por alguns minutos.
2 - Com uma escumadeira, tire as impurezas da espuma.
3 - Dissolva o chocolate e ferva uns instantes.
4 - Quando esfriar a +- 50º, acrescente o álcool e a essência de baunilha, mexendo bastante.
5 - Engarrafe e feche bem.
6 - Deixe em repouso por 30 dias.

Variante de sabor:
Crie um sabor diferente adicionando 2 colheres de café solúvel, na calda ainda quente.

Licor de Coco

Ingredientes:
250 ml de água filtrada
1 Coco inteiro ralado
(não serve o pacote vendido já ralado)
800 gs de açúcar refinado
1 litro de Pinga de boa qualidade
Modo de Fazer:
1 - Em um recipiente, junte todos os ingredientes com 600gs de acucar.
2 - Deixe em infusão por 8 dias.
3 - Após os 8 dias, faça uma calda grossa com os 200 gs de açúcar e deixe esfriar bem..
4 - Junte ao restante da maceração.
5 - Deixe o xarope em repouso por 24h para decantar as impurezas.
6 - Coe com um coador de pano.
7 - Filtre com um filtro de papel.
8 - Engarrafe e sirva só depois de 30 dias.

Licor de Chocolate Cremoso

Ingredientes:
300 ml de água filtrada
300 ml de Leite Condensado (1 lata)
1 lata de 300 ml com açúcar refinado
5 colheres de sopa de Chocolate em Pó
(Não serve achocolatado)
40 gotas de essência de Baunilha
1 lata de 300ml com Pinga (de boa qualidade)
Modo de Fazer:
1 - Em uma panela, coloque a água, o açúcar e o chocolate em pó e leve ao fogo até ferver.
2 - Depois deixe esfriar totalmente
3 - Coloque a mistura no liquidificador.
4 - Comece a bater e adicione lentamente o leite condensado, a baunilha e a pinga.
5 - Bata bastante até ficar cremoso.
6 - Engarrafe e guarde pelo menos por 30 dias.
Está pronto. Não precisa coar ou filtrar.

 

Licor Cherry-Brandy

Ingredientes:
1 kg de Cerejas maduras
1 gr de Canela em pó
1 gr de Cravo da Índia
5 gr de Coentro
1,5 kg de açúcar
1,5 litros de água filtrada
1 litro de Álcool Vinículo a 90º GL
Modo de Fazer:
1 - Esmagar 250g de cereja com caroço e tudo.
2 - Colocar num vidro: as cerejas esmagadas e as inteiras, juntar o cravo, canela, coentro e fechar.
3 - Deixe macerar por 60 dias ou mais.
4 - Todos os dias, agite 2 ou 3 vezes.
5 - Coe e esprema bem para extrair o caldo.
6 - No fogo, faça a calda com a água e açúcar.
7 - Deixe esfriar um pouco e despeje mexendo.
8 - Coe no coador de pano.
9 - Filtre as impurezas em filtro de papel.
10 - Engarrafe e etiquete.
Ajuste o grau alcoólico antes de engarrafar:
Se estiver forte, acrescente água ou calda pronta.

 

 

Licor de Cajá-Manga

Ingredientes:
1 kg. de cajá-manga já descascadas
1 kg. de açúcar
1 litro de álcool de cereais
Modo de Fazer:
1 - Em um vidro de boca larga e com tampa, colocar o cajá-manga, o açúcar e o álcool.
2 - Deixar em infusão por 8 dias ou mais, mexendo diariamente.
3 - Depois disto coar em um coador de pano separando as frutas,
4 - filtre com um filtro de papel,
5 - engarrafe e
6 - espere por 90 dias antes de servir.

 cajá

Ingredientes:
1 kg. de polpa de cajá
1 lt. de aguardente de boa qualidade
1 kg. de açúcar
1 lt. de água filtrada
Modo de Fazer:
1 - Colocar em um vidro de boca larga a aguardente e a polpa
2 - e deixar macerar por 60 dias, mexendo o vidro todos os dias.
3 - Feito isto coe com um coador de pano e reserve.
4 - Com a água e o açúcar, fazer uma calda grossa e deixar esfriar.
5 - Junte a maceração na calda já fria aos poucos, mexendo com uma colher de pau.
6 - Engarrafe
7 - e sirva depois de 60 dias.

A polpa desta fruta pode ser encontrada em rede de supermercados ou solicitada a parentes e amigos que residam nas regiôes: Centro-Oeste, Norte e Nordetes, pois trata-se de fruta destas regiões.

Licor Anisette-Bordeaux


Ingredientes:
1 ml de essência de Anis concentrada
1,5 kg de açúcar
2,5 litros de água filtrada
2 litros de Álcool Vinículo a 96º GL (ou de Cereais)
Modo de Fazer:
1 - Dissolver a FRIO todos os ingredientes.
2 - Colocar num vidro e fechar.
3 - Deixe macerar por 5 dias.
4 - Filtre as impurezas em filtro de papel.
5 - Engarrafe e etiquete.

Está pronto para ser servido.
Dica para servir: molhe a borda da boca da taça e passe no açucar. Em seguida coloque o licor.

 

 

Licor de Amoras

Ingredientes:
1 kg de Amoras de árvore
1 kg de açúcar
1,5 litro de água filtrada
1 litro de Álcool de Cereais
Modo de Fazer:
1 - Lave e limpe bem as amoras.
2 - Coloque tudo num vidro e feche bem.
3 - Deixe macerar por 30 dias ou mais.
4 - Agite o vidro várias vezes por dia.
5 - Após 30 dias, prepare a calda grossa de água e açúcar no fogo brando, durante 15 minutos.
6 - Deixe esfriar e misture nas amoras.
7 - Coe no coador de pano e em filtro de papel.
8 - Engarrafe e sirva, de preferência gelado.


Esta receita é muito fácil e super rápida, pois não precisa macerar.
É só juntar tudo e ja está pronto um delicioso Licor de Amendoim


Ingredientes:
1 lata de Beijinho ou Amendocrem
1 lata de Leite Condensado
1 e 1/2 lata de Soda Limonada
use a lata vazia como medida:
1 e 1/2 lata com Pinga ou Vodka de boa qualidade
Modo de Fazer:
1 - Coloque tudo no Liquidificador.
2 - Bata por 2 minutos.
3 - Engarrafe e coloque uma etiqueta.
4 - Conserve na geladeira.

Sirva gelado ou com gelo



O Licor de Abacaxi é muito gostoso e fácil de fazer:
esta receita usa a polpa do abacaxi

Ingredientes:

2 abacaxis médios e maduros

500ml. de pinga boa ou álcool de cereais

2 kgs. de açúcar refinado

500ml. de água filtrada

Modo de Fazer:

1 - Descasque os abacaxis e retire os nós,

2 - Corte-os em cubinhos pequenos e coloque-os em uma panela com a água

3 - Deixe no fogo ate ferver (o ponto ideal é qdo pode espremer).

4 - Junte o açúcar e mexa com uma colher de pau.

5 - Leve novamente ao fogo ate a mistura engrossar e retire do fogo.

6 - Depois de esfriar (amornar) acrescente a pinga ou o álcool.

7 - Misture muito bem com a colher de pau, espere esfriar totalmente.

8 - Filtre o licor em coador de pano.

9 - Engarrafe e tampe muito bem.

10 - Servir só depois de 30 dias ou mais.

vinho caseiro

COMO FAZER


Como elaborar vinho artesanalmente
Fases da vinificação
Instruções modelo em 28 dias com kit de vinificação


COMO ELABORAR VINHO ARTESANALMENTE
Luiz Antenor Rizzon
Pesquisador
Embrapa Uva e Vinho
Para elaboração do vinho é importante, inicialmente, separar o engace (cacho) dos grãos da uva e depois esmagar, para facilitar a extração do mosto.
[antes de esmagar eu lavo as uvas por imersão para poder retirar as aranhas, larvas e demais bichos presentes, assim como pequenas folhas etc (os bichos boiam ou tentam sair para fora da água). A separação manual dos gomos é uma operação muito trabalhosa e não é viável nem mesmo para o pequeno produtor. Separar os gomos é bom para a limpeza geral pois muitos bichos ficam nos galhos. Mas melhor será esmagar e depois separar os engaces, ainda que isto implique em diminuir o número de cascas em contato com o mosto.]
O esmagamento da uva não deve ser um processo enérgico que triture a película, mas o suficiente para facilitar a extração do mosto.
[Coloque as uvas em um recipiente bem largo que possa conter o líquido, e pise as uvas. Após pisá-las ou de outra forma esmagá-las transfira as cascas e o líquido para um fermentador maior, liberando este recipiente para nova carga com uvas.]
A elaboração do vinho tinto requer obrigatoriamente a participação da película da uva (casca). [A cor tinta do vinho é derivada da extração de tanino da casca.] No caso do vinho branco, ao contrário, ele se distingue pela fermentação exclusiva do mosto, sem a película.
Para elaborar vinho tinto, o período que a película fica em contato com o mosto é variável segundo o tipo de vinho que se quer. Vinhos mais leves (ligeiros) são feitos a partir de períodos de contato da película com o mosto curtos, geralmente, 2 a 4 dias. Não se recomenda deixar muito tempo com a casca principalmente quando a uva utilizada para elaborar o vinho é de pouca qualidade. O período que o mosto fica em contato com a película é designado de período de maceração.
FERMENTO
Quanto a utilização de fermento é importante utilizar levedura (fermento) seca ativa, específica para vinho. São fermentos selecionados para dar um bom rendimento alcoólico e contribuir favoravelmente para o aroma do vinho. A quantidade de levedura recomendável é de 20g/hl de mosto. Essas leveduras podem ser compradas em casas especializadas como por exemplo a Novo Nordisk da cidade de Araucária no Paraná Fone 41 483 22 11 [Tel. desatualizado. Encomendar via sedex de COATEC Indústria e Comércio Ltda - Travessa Guaíba, 75 - C.Postal 141. Fone/fax: 0XX54 451-3990], ou outra que tenha disponível leveduras para uso enológico. As leveduras mais utilizadas na vinificação são da espécie Saccharomyces cerevitiae. [mesma espécie do fermento do pão, mas dizem que não é a mesma]
Convém salientar que é mais importante utilizar levedura selecionada na elaboração do vinho branco. Quando se faz vinho tinto, a utilização de leveduras selecionadas não é tão importante pois, existe na própria película de uva e difundidas na atmosfera, um número considerável de células de leveduras (fermentos) que poderão fermentar o mosto.
TIPO DE RECIPIENTE
Em relação ao tipo de recipiente para elaborar vinho, o mais utilizado e recomendável é o de madeira ou também de aço inoxidável. Não é aconselhável utilizar recipiente de plástico [plásticos são porosos e absorvem o que se coloca neles, mas desde que não tenham sido usados para produtos químicos, os plásticos usados para comida ou água são uma opção barata e interessante] e de cimento e evitar aqueles de amianto. No período que a uva esmagada permanece em contato com a película o recipiente pode ficar fechado ou aberto na parte superior. O recipiente fechado dificulta mais a ocorrência de alterações microbianas mas, por outro lado, favorece o aumento da temperatura. [meu vinho branco com fermento não fermentou em recipiente fechado até que eu o transferi para um recipiente aberto onde ficou em contato com o ar]
No período em que a uva fica em contato com a película é conveniente homogeneizar a massa em fermentação, retirando o mosto da parte de baixo e colocando sobre a parte sólida da uva, que quando inicia a fermentação alcoólica, fica na parte de cima do recipiente. Esta operação chamada remontagem, deve ser feita no mínimo duas vezes ao dia. [se não for feita, a casca que fica fora, seca e desenvolve fungos que prejudicam a qualidade do vinho]
TEMPO DE FERMENTAÇÃO
O tempo de fermentação é variável com a temperatura de fermentação. No caso da elaboração do vinho tinto, no período que o mosto fica em contato com a película ocorre a fermentação tumultuosa. A seguir, o mosto-vinho é separado da casca e colocado em outro recipiente fechado, adaptado de uma válvula para permitir a saída do gás carbônico que se desprende na fermentação. [batoque hidráulico / trava ar ou air-lock. vide foto na seção fermentação e testes. pode ser feito com rolha e cano de aquário imerso em água]. Nestas condições, o mosto-vinho conclui o processo de fermentação alcoólica, isto é, todo o açúcar deve ter se transformado em álcool, e o vinho está praticamente feito.
As operações seguintes são no sentido de contribuir com a clarificação e a estabilização do vinho, principalmente através das práticas designadas trasfegas [e também através da utilização de bentonite, gelatina, clara de ovo, cristais de tartarato, estabilização a frio, filtragem].

Depois do vinho pronto, manter a pipa sempre cheia, e a cada 15 dias verificar se houve diminuição do volume de vinho; caso necessário completar o volume com um vinho de qualidade. [o contato com o ar oxida o vinho e o estraga]

Para não virar vinagre é aconselhável:
- Utilizar uva sã
- Utilizar adequadamente o metabissulfito de potássio, na dose certa e no momento adequado [dose de 3g/100L].
- Acompanhar cuidadosamente a fermentação alcoólica, (não deve apresentar nenhum cheiro de vinagre no decorrer do processo fermentativo)
- Efetuar as remontagens adequadamente.
- Utilizar recipientes enológicos adequados (sem cheiro de vinagre, limpos).
- manter a cantina (local de vinificação) perfeitamente limpa e higienizada.


Para mais informações, consulte as seguintes publicações: [ou leia os livros disponibilizados neste site]
"Elaboração de suco de uva na propriedade vitícola"
"Como elaborar vinho de qualidade na pequena propriedade" - obter junto à http://www.cnpuv.embrapa.br - 54 451-2144

-------------

FASES

esmagamento/desengace da uva
prensagem das uvas - nas cantinas comerciais é realizada em prensas verticais de grande superfície e pouca altura
desengace - retirada dos galhinhos (engace) que prendem os gomos da uva
armazenagem em tonéis de fermentação e de envelhecimento.
fermentação - ocorre naturalmente ou de forma provocada, onde há liberação de gás carbônico e aquecimento do meio, efetuados por leveduras (fermentos - fungos/cogumelos microscópicos naturalmente presentes na casca das uvas).
fermentação malolática corresponde à degradação do ácido málico por determinadas bactérias, com uma diminuição da acidez que suaviza o paladar.
cuba - fermentação em cubas de aço inoxidável com temperatura controlada em 18°
barrica - fermentação em barricas de carvalho, dando um toque de oxidação e de madeira ao vinho.
açúcar ao vinho (de acordo com a leitura do Grau Brix ou Babo feita através de densímetro)
envelhecimento em tonel de carvalho - transfere o gosto do carvalho ao vinho
engarrafamento do vinho
envelhecimento em garrafa


----------------------------------------------------

Instruções modelo em 28 dias com kit de vinificação
(23 litros)

É recomendável que voce siga as instruções que estão incluídas dentro do seu kit específico de vinificação uma vez que as instruções tendem a variar dependendo do fabricante.
ESTERILIZE TODOS OS EQUIPAMENTOS!
Todos os equipamentos deve ser esterilizados (sanitarizados) antes que estes entrem em contato com o mosto ou vinho. Este objetivo pode ser melhor atinjido através da limpeza, sanitarização e enxague de cada item antes do uso.

d i a 1

Se o seu kit de vinho contém uma identificação de "Numero de Lote", anote este número agora. Em alguns casos, o fabricante do kit de vinho vai solicitar esta informação para referenciar seus estoques.
Esvazie o conteúdo do saco dentro de um fermantador primário de 30 litros, limpo e sanitarizado. Encha o saco vazio com água quente e despeje dentro do fermentador. Adicione água suficiente para fazer com que o conteúdo do fermentador primário atinja 23 litros.

NOTA 1:
Alguns kits de vinho PODEM exigir a adição de Bentonite neste estágio. A Bentonite é uma argila usado extensivamente na indústria de vinho comercial. Ela é normalmente misturada com água e adicionada ao vinho.
NOTA 2:
Se seu kit de vinho contém lascas de carvalho, elderberries ou elderflowers ou você os comprou separadamente, você pode adicioná-los agora.

Teste a Gravidade Específica (G.S.) agora, e anote a leitura junto a suas anotações de fermentação. A gravidade específica do início deve estar entre 1.080-1.085.
Adicione levedura para vinho (salpique no topo ou siga cautelosamente as instruções no pacote da levedura). Cubra o fermentador com uma folha de plástico ou preferencialmente com uma tampa e um batoque (trava-ar) que tenha sido parcialmente enchido com água ou sua solução de sulfito.
Coloque o fermentador em uma área quente (22-25C). A fermentação deve começar dentro de 48 horas. Bolhas e espuma são sinais de uma fermentação ativa. Deixe o vinho fermentando até que a gravidade específica tenha caído para MENOS QUE 1.020 (aproximadamente 7 dias).


d i a 6


Antes de efetuar a trasfegas, teste a G.S. para garantir que a leitura caiu para menos que 1.020. Se a gravidade está ainda alta, deixe uns dias extras no fermentador primário.
NOTA 3:
Temperatura insuficientemente quente na área de fermentação vai diminuir o processo de fermentação.

Se a gravidade específica diminui suficientemente, complete a primeira trasfegas transferindo vinho para um garrafão limpo e sanitarizado, se assegurando de deixar os sedimentos para trás.
Garanta que o garrafão esteja cheio até 5 cm do topo. Prenda um batoque hidráulico que tenha sido enxaguado e preenchido com água ou sua solução de sulfito. Deixe o garrafão em uma área quente para garantir a fermentação continuada.
NOTA 4:
Se você precisar preencher o vinho até o topo, é melhor adicinar um pouco de vinho pronto (de sua própria produção anterior ou comprado em loja; tente evitar diluir com água).

d i a 2 0


Toda a fermentação deve agora estar completa. Verifique isto testando a gravidade específica. Para fazer isto, transfira vinho em um cilindro de densímetro e registre a leitura. A G.E. deve estar em 0.995 ou menos E não deve existir nenhuma bolha de gás visível no vinho em torno do gargalo do garrafão.
Transfira o vinho para um fermentador primário limpo e sanitarizado e então de volta para o garrafão. Se você tiver um segundo garrafão, economize um passo e transfira direto do garrafão para o garrafão. Deixe sempre o sedimento para trás.
Neste estágio, a maioria das receitas de vinho exigem a dissolução e adição de Metabisulfito de Potassio (agente anti-oxidante) e Sorbato de Potassio (previne a re-fermentação). Adicine ao vinho e mexa.
NOTA 5:
A maioria dos kits de vinho recomenda que você mexa seu vinho várias vezes por dia dentro de um período de 1-2 dias. Isto ajuda a remover o gás carbônico preso. Recoloque o batoque depois de cada mexida.


d i a 2 2


Depois de um período de 48 horas de descanso, a maioria das receitas em kits de vinho exigem a diluição e adição de um clarificador (agente de afinação). Não é incomum para diferentes fabricantes de kits para vinho fornecer clarificadores na forma de pó ou líquida. Em ambos os casos, o clarificador de vinho é misturado com o vinho ou água e adicionado ao vinho. Garanta que o garrafão esteja suficientemente preenchido até o topo. Mais uma vez, prenda o batoque e deixe o vinho sem movimentos para clarear.

d i a 2 8 : d i a - d e - e n g a r r a f a r


Seu vinho deve agora estar pronto para filtrar e engarrafar. Se o vinho não está suficientemente claro, deixe por mais uns dias extras.
Transfira o vinho recentemente filtrado para um garrafa de 750ml estéril e limpa, garantindo que seja deixado 2.5cm (2 fingers) de espaço no topo entre o vinho e o fundo da rolha.
As rolhas devem ser levemente sulfitadas, enxaguadas e inseridas rapidamente, usando um aparelho de colocar rolhas operado pela mão ou de chão.
As garrafas devem ser mantidas em posição vertical por um período de 48 horas antes de deitadas de lado. Isto garante que o vinho não vase entre a rolha e o gargalo da garrafa.


Voltar

Fale comigo - rene.delboux@uol.com.br - René D´Elboux

Postagens populares

Minha lista de blogs

tang

Abobora Doce Recheada Adimito Amendoas Bacalhoada Bolinho Caranguejo Bolinho Recheado Queijo Bolos Decorados Mecanico Calda Manjar Carne Receita Cerveja Creme De Maca Croqueta Frango Presunto Feito Cuscuz Marroquino Folhadinhos Rapidos Gelatina Abacaxi Hoteis Inquilinato Laranja Morangos Licor Ameixa Macas Glaceadas Massa Leitao Massas Yakisoba Menus Dia Namorados Microondas Pao Molho Requeijao Frango Molhos Especial Tender Muffins De Halloween Paelha Marisco Panquecas Ovos Pate De Caviar Pessego Receitas De Pimenta Limao Polpa Manga Receitas Castanhas Portuguesas Receitas Cheesecake Receitas Rapidas Natal Repolho Crespo Risotto Pato Saladas Vinaigrette Sobremesas De Copinhos Sopa Arroz Feijao Sopa Courgette Sorvetes De Damasco Souvlaki Spaghetti Receitas Tarte Espinafres Frango Tarte Fruta Natas Tomates Forno Video Racao Humana