,

Pesquisa personalizada
User-agent: Mediapartners-Google* Disallow:

Pesquisar este blog

Carregando...

21/06/2011

comidas típicas da França

10 comidas típicas da França

comidas típicas da França


A França é responsável por uma das cozinhas  mais apreciadas no mundo, especialmente no ocidente. Assim como a cozinha italiana.
O prato mais conhecido é o Croissant, que não chega a ser um prato, mas um importante acompanhamento que chega a substituit o pão francês, outra especialidade deles.
1. Croissant
Ingredientes
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1 tablete (15grs) de fermento para pão
  • 2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 colher (chá) de casca de limão ralada
  • 2 ovos
  • 4 a 5 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • Manteiga para untar
  • Farinha de trigo para polvilhar
  • 1 pacote de manteiga (200grs)
Modo de preparo
  • Ferva o leite e deixe amornar.
  • Quando estiver quase frio, dissolva o fermento em 1/2 xícara (chá) de água morna e misture com o leite.
  • Acrescente a manteiga ou margarina, o açúcar, o sal, a casca de limão, 2 ovos e bata bem.
  • Junte 2 1/2 xícaras (chá) de farinha e misture.
  • Vá acrescentando o restante da farinha aos poucos e amassando até que a massa fique uniforme e maleável.
  • Faça uma bola com ela e coloque numa tigela untada.
  • Vire para untar do outro lado.
  • Cubra e deixe crescer por 1 hora.
  • Abaixe a massa, cubra e leve à geladeira por mais 1 hora.
  • Abaixe a massa novamente.
  • Abra-a com o rolo sobre uma superfície ligeiramente polvilhada, formando um retângulo.
  • Espalhe 1/3 da manteiga, dobre a massa em três partes e abra novamente.
  • Repita a operação mais duas vezes, até terminar a manteiga.
  • Leve novamente à geladeira e deixe crescer por mais 1 hora.
  • Abra a massa e corte em triângulos.
  • Faça os croissants:
  • Enrole os triângulos começando pela parte mais larga.
  • Leve à geladeira e deixe por mais 30 minutos.
  • Coloque os croissants numa assadeira sem untar e asse em forno quente por uns 15 minutos, ou até que dourem e fiquem crocantes.


2. Suflê
2 maços de couve manteiga cozida e picada
4 xícaras de leite
4 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de manteiga
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
6 gemas
6 claras em neve
sal e pimenta-do-reino
Modo de fazer:
Numa panela coloque o leite, a manteiga, a farinha, misture, leve ao fogo e cozinhe até ferver, retire do fogo, espere esfriar um pouco e junte as gemas, o parmesão, a couve, misture, adicione as claras mexendo com cuidado, coloque numa fôrma untada e enfarinhada, asse em forno pré-aquecido (180°C) por uns 40 minutos. Sirva quente.
3. Crepes Suzete
Massa :
4 ovos
1 pitada de sal
1/2 xícara de chá de açúcar
1 lata de creme de leite
1 xícara de chá de farinha de trigo

Recheio :
2 colheres de sopa de manteiga em temperatura ambiente
3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de licor ou suco de laranja
Raspas da casca de 2 laranjas e de 1 limão
Açúcar para polvilhar

Para flambar :
3 colheres de sopa de conhaque
2 colheres de sopa de licor de laranja

Bata no liquidificador os ovos, o sal, o açúcar, o creme de leite, a farinha de trigo e deixe descansar enquanto prepara o recheio. Misture a manteiga e junte o açúcar, mexendo até obter um creme liso. Acrescente o licor ou suco de laranja, as raspas e reserve. Derreta pedacinhos de manteiga em uma frigideira e frite pequenas porções da massa. Deixe-a dourar de ambos os lados. Mantenha as crepes aquecidas dentro de um recipiente refratário. Espalhe um pouco de recheio sobre cada uma e dobre-as em quatro. Ao servir, polvilhe açúcar sobre as crepes, misture o conhaque ao licor de laranja e aqueça-os em uma concha sobre a chama do fogão Deixe a bebida acender e despeje imediatamente em chamas sobre as crepes. Usaremos o licor cointreau, feito à base de laranja e que dá um toque especial. Sirva as crepes com sorvete de creme e morangos fatiados.

Dicas :
O creme de leite dá sabor à massa, além de garantir a textura macia.
A manteiga deve estar em temperatura ambiente para facilitar no momento de adicionar os demais ingredientes do recheio.
A massa deve ficar fluida para que forme panquecas bem finas.
A flambagem fará as crepes ficarem com o aroma da bebida, sem a presença de álcool que será evaporado durante o processo.
O licor de laranja é utilizado para aromatizar a sobremesa. Caso prefira, utilize somente o conhaque acrescido de raspas da casca de laranja.
Se desejar, substitua o Cointreau pela mesma quantidade de Grand Manier. 4. Escargot
1 dente de alho bem picado
• Salsinha crespa picada
• 100 g de manteiga
• Sal e pimenta-do-reino
• 2 cebolas roxas pequenas picadas
• 6 dúzias de escargots em conserva, escorridos
• 500 g de cogumelos frescos (champignons de Paris)
• 250 ml de vinho branco seco
• 200 ml de creme de leite
• 6 fatias de pão levemente douradas
• Noz moscada
Prepare assim:

• Aqueça a manteiga em uma frigideira, e doure a cebola roxa e o alho;
• Acrescente os cogumelos e deixe cozinhar por aproximadamente 5 minutos;
• Acrescente os escargots e o vinho branco, e deixe cozinhar até que o líquido evapore (aproximadamente 10 minutos);
• Acrescente o creme de leite e tempere com sal, pimenta e noz moscada, e deixe o molho reduzir até que fique cremoso;
• Disponha as fatias de pão em uma travessa e coloque por cima o cassoulet;
• E pronto! Seu cassoulet está no ponto! Sirva em seguida.5. Petit fours
2 unidade(s) de ovo
1 xícara(s) (chá) de açúcar
quanto baste de sal
200 gr de margarina Qualy Sadia
500 gr de farinha de trigo

Massa

Bata na batedeira, os ovos, o açúcar, o sal e manteiga até formar um creme, depois coloque aos poucos a farinha de trigo e coloque para assar em forma untada em forno pré aquecido.
A mesma massa serve para doces e salgados. Coloca-se, nos salgados, sementes de gergelim, papoula, orégano... E nos doces: chocolate, goiabada, geléias... de acordo com a sua imaginação.
6. Foie Gras
12 uvas brancas
12 uvas vermelhas
12 amoras
12 cerejas
20g de uvas passas golden
20g de uvas passas pretas
150 ml de riesling

MODO DE FAZER:
Cortar as uvas, as amoras e as cerejas em duas partes. Marinar todas as frutas no riesling durante 6 horas.

FOIE GRAS
INGREDIENTES:
4  fatias de foie gras de 125gr cada um
2  colheres de farinha de trigo
Sal
Pimenta

MODO DE FAZER:
Tempere o foie gras com sal e pimenta. Passe na farinha de trigo e puxe em uma frigideira bem quente até tostar os dois lados. Retire e deixe secar em papel absorvente.

MOLHO
INGREDIENTES:
½ colher de zestes de laranja
½ colher de gengibre ralado
1 colher de mel
Sal

MODO DE FAZER:
Coloque o riesling da marinada na frigideira de cozimento sem as frutas. Acrescente os zestes de laranja e o gengibre. Deixe ferver e coloque o mel. Acrescente as frutas. Reduza o fogo e espere até ficar com consistência de xarope.

TOQUE FINAL

INGREDIENTES:
4 torradas de pão de forma
Manjericão roxo
Coentro

MODO DE FAZER:
Coloque as torradas no prato, coloque o foie gras por cima e regue com o molho das frutas. Para finalizar, coloque manjericão roxo e folhas de coentro.7. Raclette
6 batatas lavadas
salsa e cebolinha cortadinhas
queijo Raclette
ou variedades de queijos (nós usamos vários tipos de queijos de nossa preferência, pois achamos o raclette enjoativo)
pimenta-do-reino
tomates cortadinhos
azeitonas
sal

MODO DE PREPARO:

Cozinhe as batatas em água e sal, descasque e reserve, mantendo-as aquecidas. Distribua os ingredientes escolhidos em  porções  e coloque o queijo cortado em fatias numa tábua apropriada. Coloque o sal e a pimenta moída no momento de servir as batatas. Na mesa, aqueça a Racletteria, coloque as batatas para se manterem aquecidas e cada pessoa usa o seu espaço para derreter o queijo com os complementos preferidos. Depois de derretido a seu gosto coloque-o sobre as batatas e aprecie. Veja a foto!

OBS:
Além do queijo para a raclette, pode ser usado  carnes frias: presunto, paio, fiambre etc. 8. Tartiflette
  • 400g de batatas
  • 150g de bacon em pedacinhos
  • 1 cebola pequena picada
  • 350g de queijo de raclete
  • 1 pacote de natas
  • 1 colher de sopa de azeite


PREPARAÇÃO
  1. Cozer as batatas com pele
  2. Escorrer ,deixar arrefecer e depois pelar e cortar ás rodas
  3. Colocar o azeite na frigideira e alourar a cebola e depois juntar o bacon e deixar alourar juntamente
  4. Num tabuleiro untado colocar uma camada de batatas e por cima metade da mistura do bacon
  5. Por cima uma camada de fatias de queijo
  6. Colocar depois o resto das batatas ,por cima a restante mistura do bacon
  7. Regar com o pacote de natas
  8. Tapar com o resto do queijo
  9. Levar ao forno
9. Cassoulet
500gr  de Feijão Branco
200gr de linguiça portuguesa
200gr de linguiça Calabresa
200gr de Paio
500gr de Carne seca  ( Deixe de molho por pelo menos 5 horas antes)
300gr de Costelinha defumada (Deixe de molho por pelo menos 5 horas antes)
500gr de Filé de frango cortado em cubos
200gr de Bacon cortado em cubos
3 folhas de louro
1 cebola grande bem picadinha
5 dentes de alho bem picadinhos
 Pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Em uma panela de pressão coloque o feijão branco, (eu não costumo deixar de molho antes), a carne seca cortada, a costelinha, as linguiças cortadas  em rodelas grossas, o bacon, as folhas de louro; Cozinhe na pressão por 1 hora.  Abra a panela e acrescente o Frango, volte ao fogo na pressão por mais 20 minutos.

Em uma panela grande (de preferência tipo Casseroule), doure a cebola e o alho, até ficar bem moreninho,  despeje o Cassoulet,  deixe ferver e desligue.

Esta pronto, porem  no dia seguinte fica melhor ainda.

Obs**  Eu não coloco sal, pois as carnes já são salgadas.10. Aligot
Para o purê de batatas:
  • 250g de batatas
  • 50ml de creme de leite fresco
  • 25ml de leite integral
  • 20g de manteiga
  • Sal e pimenta a gosto
Para o aligot:
  • 250g de purê de batata
  • 125g de queijo de minas padrão ralado
  • 125g de queijo gruyére ralado
  • 4 a 8 dentes de alho amassados (use de acordo com o seu paladar)
Em uma panela com água e sal, cozinhe as batatas ainda com casca.  Retire a casca das batatas assim que elas saírem da panela, ainda quentes. Em seguida, esprema as batatas e passe em uma peneira fina. Aqueça a manteiga e o creme de leite e acrescente as batatas amassadas. É preciso cozinhar esta mistura em fogo baixo por uns dez minutos até que fique bem lisa.
Em uma panela, aqueça o purê de batata, em fogo baixo. Acrescente os dentes de alho bem amassados e, aos poucos, os dois tipos de queijo ralados. Vá alternando um e outro e mexendo constantemente a mistura com uma colher de pau. Fique atento, quando a mistura estiver elástica, lisa e soltando da panela é porque está pronta. Sirva imediatamente! Tripoux
França, berço de boa mesa e dos mais famosos “chefes”. Poderíamos afirmar também que a gastronomia francesa faz parte do património nacional. A gastronomia é, com efeito, uma das maiores referências de França no mundo. Delicios como o foie gras, as quiches, os crepes ou o camembert são produtos franceses que se expandiram por todo o mundo.
Cada região lhe oferecerá sua especialidade, sua cozinha caseira ou vanguardista, ligeira ou muito tradicional, com azeite de Provença ou com nata de Normandia, o que é certo é que não enganará seu paladar.
Em qualquer região, a França tem muito para oferecer...
ALSÁCIA - LORENA
A Alsácia e a Lorena possuem pratos característicos, testemunho de uma tradição de festas e de banquetes.
Estas duas regiões possuem uma gastronomia muito diversificada, os exemplos mais conhecidos são a "Choucroute" (couve, batatas, bacon) e a "Quiche Lorraine" (tarte de queijo, bacon e fiambre).
Relativamente aos pratos doces, abundam as tartas de maçãs, de ameixas e amoras, a "Brioche" alsaciana e o "Kougelhopf" (biscoito alsaciano em forma de coroa).
AQUITÂNIA
De Béarn au País Basco, das Landes a Bordéus, Aquitânia é uma autêntica festa da mesa, orgulhosa das suas tradições e dos produtos da sua terra. O sabor é o rei de uma arte de viver. O "foie gras", o magret de pato, a entrecôte à bordalesa, a "garbure" (sopa espessa de couve), a pularda Enrique IV (a história conta que este monarca queria que todos os franceses comessem este prato todos os domingos), o fiambre de Bayona e o caviar (ovos de esturjão) de Gironde são produtos característicos de uma das melhores cozinhas de França, sem esquecer os vinhos de Bordéus e de Bergerac, vinhos com Denominação de Origem de grande qualidade. Seus maravilhosos numerosos licores de noz, de ameixa, de framboesas acompanham suas sobremesas.
No Périgord cultivam-se os produtos mais variados. Três deles são símbolos desta região : as nozes, os morangos e o tabaco.
AUVERGNE
Esta região é conhecida sobretudo por suas abundantes receitas caseiras, sua charcutaria e os seus queijos: Saint Nectaire, Fourme d'Ambert, Bleu d'Auvergne. No entanto, com a colaboração de alguns cozinheiros, suas receitas transformaram-se em pratos mais refinados, demonstrando que pode-se misturar criatividade e tradição.
Entre os mais conhecidos podem-se encontrar "la potée" (porco, cenouras, batatas, couve, cebola), o galo ao vinho e os "tripoux" (novilha, bacon, cebola, vinho).
Não se pode esquecer sua pastelaria : os "millards" (pastel de cerejas), os "pompes" (pasteis de maçãs), a "fouasse" (bolo de leite), os "cornets" de Murat (sobremesa com nata), as tartes de nata, e os doces de frutas.
BRETANHA
Se é amante do mar, a Bretaña é o teu destino. Degustará os melhores ostras e mariscos, assim como a cotriade (sopa de pescado) e de sobremesa as famosas crepes embora não deixa de comer também as galettes, as famosas crepes saladas e o pastel chamado "far".
BORGONHA
A fama da Borgonha vem de longe: os seus vinhos e sua gastronomia datam da época galo-romana. A prova disto são as normas culinárias conservadas no Museu Arqueológico de Dijon.
Entre as famosas receitas borgonhesas destacam os caracóis, a novilha borgonhesa e o assado de novilho.
Também associa-se a Borgonha com a mostarda de Dijon, forte ou aromatizada, para acompanhar vários pratos.
VAL DE LOIRE
A região de Berry oferece produtos típicos: lentilhas verdes, o queijo de cabra "crotin de Chavignol" ou "la mique" (sopa de verduras com porco). A "Tarte Tatin", uma tarte cozida ao invés e caramelizada, que encontra-se em toda a França e que tem o nome de suas criadoras: as irmãs Caroline e Stéphaine, hosteleiras do povo de Lamotte-Beuvron. Preparando uma tarte de maçãs, esta caiu e puseram-na de novo na forma más ao invés.
CHAMPANHA-ARDENAS
Para os amantes da caça, a região de Champagne-Ardenne é famosa pelas suas especialidades. Não se pode esquecer "l'andouillette" de Troyes, especialidade típica da cidade, o fiambre das Ardennes, e os biscoitos de Reims. Não se pode passar por esta região sem degustar a bebida que a fez mundialmente famosa: o Champagne e suas bolhas frescas, elegantes e mágicas. A outra jóia de Champagne-Ardenne é seu diamante cinzenta: a trufa.
CÓRSEGA
O menu tradicional estaria composto de embutidos, pescados e mariscos, e como sobremesa um "brocain" (doce com leite de ovelha ou de cabra). Outros produtos típicos são a farina de castanhas, o mel, ou o Cédrat (um cítrico) ou o licor de mirto (feito com frutos e com flores).
LANGUEDOC-ROUSSILLON
A cozinha do Languedoc está enfeitada com azeite e ervas aromáticas (tomilho, rosmaninho,...) que perfumam seus pratos de caracóis de caça, ou de ave acompanhados de saborosas verduras: beringelas, tomates, curgetes, pimentos.
Os pratos do mar merecem uma menção especial: ostras e mexilhões de Bouzigues, "bourride sétoise" (prato de sapo), "tielles" de polvo (massa de pão, polvo, tomates, cebolas, especiarias), e "brandade" de Nîmes (bacalhão picado com azeite, leite e alho).
Como sobremesa, não se poderá resistir a uma "crème brulée", riquíssimas natas.
MIDI-PYRÉNÉES
Em Toulouse, o prato mais importante é sem dúvida o "Cassoulet" (composto de feijões, perna de cordeiro, de toucinho...)
O ganso e o pato saboreiam-se em "foie gras" ou "confit". Entre as especialidades de Toulouse encontram-se o pato "à l'albigeoise" e os espargos do Tarnais.
Na montanha, as terras de Aveyron e dos Pirenéus oferecem também uma gastronomia de carácter com os "tripoux de Naucelles" (vinho branco, fiambre e alho), a charcutaria de Entraygues ou o "alicuit".
Relativamente aos queijos, a região de Aubrac dá-nos o incomparável "Laguiole" (ao qual costuma-se incorporar ao puré de batatas, alho para fazer o "aligot") e Millau oferece-nos o Roquefort.
O vinho ocupa um papel importante nestas regiões. Com efeito, os vinhos de Cahors e de Bergerac, já famosos na época romana oferecem vinhos com Denominação de Origem de grande qualidade.
NORD PAS-DE-CALAIS - PICARDIA
No Norte sabem apreciar os méritos de uma mesa generosa para oferecer uma grande variedade de pratos ricos e saborosos.
A cozinha flamenca oferece numerosas sopas como a sopa de pescada do "Touquet". Como entradas figura o "Potjevleesch" (terrina de ternera, cerdo, coelho e frango), a "flamiche aux maroilles" (tarte de alho francês) ou "l'andouille" (especie de embutido). Entre os pratos principais encontram-se o coelho com ameixas, o "hochepot" (sopa de novilha, de cordeiro, de toucinho e de verduras), a "ficelle" picarda (crepe de fiambre com molho "bechamel" e cogumelos), pratos típicos compostos de pato, coelho, enguia e lúcio.
NORMANDIA
Esta região possui muitos tesouros gastronómicos: queijos como "le Pont l'Evêque" ou "le Livarot", o caramelo de Isigny, licores como o "Calvados" e a cidra, ou as maçãs com as quais fazem-se o famoso "Trou normand" (licor, maçãs, menta, sal e água) que se bebe durante a comida para facilitar a digestão.
PAYS DE LA LOIRE
Aqui pode-se saborear ostras e mariscos, as famosas "rillettes" (paté caseiro) acompanhadas de um bom vinho da região de Anjou, e por fim a sobremesa: "brioche vendéenne", um pastel típico.
POITOU-CHARENTES
A gastronomia do Poitou-Charentes tem como protagonistas os sabores do mar.
O menu típico poderia ser: uma dúzia de ostras de Marennes-Oléron com pão de centeio untado de manteiga d'Echiré, depois um tortilha de caracóis ("cagouilles"), uma peça de cordeiro e por fim um pouco de queijo "cabichou".
PROVENÇA-ALPES-COSTA AZUL
Nos mercados da Provença podem-se adquirir todos os produtos da região: azeite, ervas de Provença, figos, morangos de Carpentras, melões de Cavaillon, queijos de cabra, peixes. Saboreiam-se também algumas especialidades deliciosas: a famosa "bouillabaisse" na cidade de Marselha (sopa de pescado), "l'aïoli" (maionese com azeite e alho), a "tapenade" (puré de azeitonas negras misturado com alcaparras, anchovas e atum) ou "a ratatouille" (com verduras), todo acompanhado com um vinho de Côtes de Provence.
As especialidades de Nice são "la pissaladière" (tarte de cebola com molho de anchovas e azeitonas negras), a salada niçoise (tomates, alcachofras, pimentos, ovos duros, azeitonas negras, azeite), "le pistou" (sopa de verduras sazonada com basílico, alho, tomate, azeite).
Não se pode esquecer também os "Calissons", doces da cidade de Aix-en-provence.
RHÔNE-ALPES
O Vale do Rhône é uma região essencial na gastronomia francesa. Das aves de Bresse a sopa de trufas, sem esquecer as fondues, raclettes, o gratin dauphinois (mistura de batatas, ovos e leite), pratos para saborear num chalé de madeira com ambiente de montanha, a riqueza das produções naturais cria uma grande variedade de pratos aos quais ricos vinhedos trazem sua generosa ajuda.
Entre as especialidades de Lyon: o croquete de lucio queimada no forno com manteiga, o salsichão de Lyon, a salsicha quente com amêndoas e pistachos, o polvo com nata, as galetas "pérougiennes" e os "bugnes".
As sobremesas mais famosas são o Nougat de Montelimar (açúcar, mel, ovos, baunilha e amêndoas) e os "Marrons glacés".
Os melhores vinhos desta região são os "Beaujolais" e "Côtes du Rhône"
Fonte: br.franceguide.com
Os parisienses são apaixonados pelos prazeres da vida de uma forma raramente igualável, e em nenhum lugar isto é tão evidente quanto no seu amor pela comida. A culinária francesa é verdadeiramente uma delícia em todos os sentidos, e se apresenta de forma abundante nos inúmeros cafés e restaurantes em toda a cidade. As refeições, ao serem saboreadas vagarosamente, tornam-se eventos longos, e elas são o começo da estimulante vida noturna da cidade.
Por que existem restaurantes?
Por que as pessoas passaram a considerar a refeição como um passatempo agradável e não mera necessidade? Desde quando alimentação se transformou em lazer? Foi na França onde surgiu o primeiro restaurante, no período do século XVIII. Esse restaurante era uma espécie onde serviam refeições com propriedades terapêuticas, principalmente caldos. Seu principal objetivo era restabelecer e restaurar a força de indivíduos doentes.
Durante as décadas de 1760 e 1770, os mais sensíveis ou doentes tornavam pública sua condição indo a novos estabelecimentos, chamados restauraters rooms. Ali permaneciam, calmamente, aproveitando o caldo restaurador servido. Em 1790, no entanto, o restaurante passou a ser visto como decadente e corrupto. As mesas da Revolução eram locais para uma hospitalidade politicamente correta e um apetite frugal era tido como contra-revolucionário. Os restaurantes, antes vistos como provedores de comida saudável, passaram a posar como um símbolo da ganância da aristocracia. a transição entre essas instituições a partir da queda da Bastilha. A Revolução Francesa teve grande influência na política, na cultura e, principalmente, nos costumes.
No corte real francesa, os banquetes eram grandiosos. O mundo se rende à culinária francesa e à generalização da manteiga e dos molhos aveludados. Era chique usar os condimentos com freqüência, já que tinham preços acessíveis e seu emprego era comum.
Foram os franceses, em especial os parisienses que inventaram a cultura moderna da comida. Metamorfoseando sua vida social e, a reboque, a do resto do mundo. A partir do século XIX, o restaurante se transformou num local seguro para a transição da monarquia para a democracia. O aparecimento de um gênero literário até então desconhecido, a literatura gastronômica, conferiu status a pratos como ostras e champanhe e atraiu a atenção de turistas. Americanos e ingleses iam à capital francesa para descobrir os segredos de sua sofisticação em seus restaurantes.
Na segunda metade do século 19 a culinária francesa atingiu seu apogeu. Hoje, nem a própria França escapa ao estilo fast-food de alimentação. Nada contra ao estilo fast-food, mas para amantes da culinária francesa, isso com certeza é um fato muito preocupante, pois pode colocar em jogo toda essa cultura e cuidados na hora de selecionar os ingredientes e preparo dos pratos.
Fonte: www.portaldosrestaurantes.com.br


Postagens populares

Minha lista de blogs

tang

Abobora Doce Recheada Adimito Amendoas Bacalhoada Bolinho Caranguejo Bolinho Recheado Queijo Bolos Decorados Mecanico Calda Manjar Carne Receita Cerveja Creme De Maca Croqueta Frango Presunto Feito Cuscuz Marroquino Folhadinhos Rapidos Gelatina Abacaxi Hoteis Inquilinato Laranja Morangos Licor Ameixa Macas Glaceadas Massa Leitao Massas Yakisoba Menus Dia Namorados Microondas Pao Molho Requeijao Frango Molhos Especial Tender Muffins De Halloween Paelha Marisco Panquecas Ovos Pate De Caviar Pessego Receitas De Pimenta Limao Polpa Manga Receitas Castanhas Portuguesas Receitas Cheesecake Receitas Rapidas Natal Repolho Crespo Risotto Pato Saladas Vinaigrette Sobremesas De Copinhos Sopa Arroz Feijao Sopa Courgette Sorvetes De Damasco Souvlaki Spaghetti Receitas Tarte Espinafres Frango Tarte Fruta Natas Tomates Forno Video Racao Humana