PESQUISE AQUI








Pesquisa personalizada






22 de abr de 2017

Alcachofra, Como Servir e Comer

-->

Alcachofra, Como Servir e Comer


 
ALCACHOFRA
A alcachofra é uma flor exótica, pertencente à família das margaridas e dos girassóis. É originária da Europa e do Norte da África e cultivada no Mediterrâneo desde a Antigüidade, sobretudo na Sicília. Diz a Mitologia que ela nasceu dos cabelos de uma mulher orgulhosa, Cynara, uma bela jovem de cabelos louro-acinzentados que rejeitou o amor de Zeus, pois achava ele muito velho. Assim, Zeus a transformou em uma planta selvagem e espinhosa. Daí a denominação da alcachofra, cujo nome em botânica é Cynara Scolymus ou a planta que espeta, cor de cinza.
Depois foi praticamente esquecida até a época do Renascimento, proveniente da Etiópia, trazida pelas mãos de jardineiros italianos. Dizem que foi Catarina de Médicis que introduziu a alcachofra na França no século XVI, quando se casou com Henrique II. Mas já no século 2 d.C. era utilizada como medicamento e desinfetante para as vias urinárias. Mas só no nosso século é que se descobriu nas folhas e em sua haste a ciarina, uma substância amarga que estimula secreções do fígado e da vesícula e também é diurética. Contém tanino que lhe confere propriedades antidiarréicas. Cada 100g contém cerca de 60 calorias e também contém cálcio, ferro e fósforo. vitaminas do complexo B, potássio, iodo, sódio, magnésio e ferro.
A alcachofra é formada de 4 partes: fundo fibroso e parte superior das folhas, não comestíveis e fundo comestível ou “coração” que é a parte mais saborosa e base das folhas, uma delícia para ser consumida só com azeite e limão. O interior dos talos também pode ser aproveitado.
Quando for comprar, segure-a pelo talo e sacuda-a suavemente. Apresentando-se flexível, é sinal de que está madura e boa para o consumo. Você também encontra o fundo de alcachofra em conserva.
Para trabalhar com ela:
• Lave bem, abrindo as folhas para que a água penetre. Corte o talo, rente à base. Vá regando com limão para não escurecer.
• Para melhor apresentação do prato, se for servida recheada, corte a ponta das folhas. Caso contrário, cozinhe inteira, tirando o coração e as folhas após o cozimento.
• Se for servida recheada, cozinhe primeiro, já com as pontas das folhas aparadas. Depois, separa com os dedos a parte central e com o auxílio de uma colher de chá, retire o fundo fibroso, deixando-o bem limpo. Você vai observar o coração quando estiver bem limpo. Recheie a gosto e utilize
• Pode ser cozida em panela comum de preferência esmaltada ou de teflon, pois o alumínio pode escurecer as alcachofras, por cerca de 40 minutos. Em panela de pressão, este tempo é reduzido à metade. Em microondas, é o que conserva melhor os seus nutrientes pois é cozida quase sem água. Basta regar com algumas colheres e cozinhar em refratário tampado por cerca de 12 a 15 minutos na potência alta, para 2 alcachofras.
• Para saber se está cozida, em qualquer um dos casos, puxe uma das folhas, que deverá sair com facilidade.
A alcachofra tem cinco partes: a ponta das folhas, não comestível; as "sedas', que também não se come; o "coração", ou fundo, que é comestível, sendo a parte mais suculenta; a base das folhas, carnuda e também comestível; e o talo que, depois de limpo (sem as fibras), pode ser usado em sopas e saladas.
A alcachofra tem ótimas propriedades nutritivas. E rica em vitaminas do complexo 13, em vitamina A e em sais minerais, como ferro, cálcio e fósforo. Além disso, a alcachofra também tem tanino, um eficiente antidiarréico, e um elemento chamado ciarina, que é excelente como regulador d fígado. Por ter poucas calorias, ela é recomendada nos regimes para emagrecer.
Para ver se a alcachofra está boa para o consumo, segure-a pelo talo e sacuda suavemente. Se ela está flexível, é sinal de que já está madura e pode ser consumida. A escolha da alcachofra deve ser feita de acordo com o prato a ser preparado. Quando se pretende usar o fundo ou rechear, convém escolher alcachofras grandes, com folhas firmes e brilhantes. As alcachofras pequenas são mais indicadas para saladas ou para serem preparadas ao vinagrete. Em geral, serve-se uma alcachofra por pessoa.
Guarde as alcachofras na gaveta da geladeira, dentro de um saco plástico. Dessa forma, elas se conservam por 4 ou 5 dias
A alcachofra também pode ser congelada, mas antes precisa ser cozida
alcachofra
Higienizador do fígado e vesícula.
Estimula o metabolismo das gorduras no sentido da queima e da eliminação; por isso o uso da injeção localizada do extrato de alcachofra para obesidade.
(injeção localizada do extrato de alcachofra é indicado - OBS: O Jornal Hoje; Rede Globo 25/11/2004, salientou que este processo ainda não está cientificamente comprovado e que por este motivo, conforme epecialistas, a injeção localizada não teria efeitos sobre a gordura. Apresentou também pessoas que usaram a injeção e não obtiveram efeitos desejados - se você possui alguma experiência sobre o assunto envie para ser publicado nesta página e-mail)
Substâncias encontradas: inulina, açúcares, tanino e os fermentos inulase, invertase, coalho e cinarina (ácido di-cafeilquínico).
Vitaminas: A, B1, B2 e C.
Minerais: potássio, cálcio, magnésio e manganês (20 mg % ; a maior percentagem dentre todos os legumes e frutas até aqui pesquisados). 100g de alcachofra apresenta uma média de 50 calorias.
Ação
Redutora da taxa de uréia e do colesterol do sangue, diurética, laxativa, depurativa, regulador de funções hepáticas na formação de bílis (colerético) e as funções antitóxicas. Também regula e facilita a saída de bílis (colagogo); regula sua formação. Ajuda nas alterações originadas por estases hepáticas, como pressões e dor no ventre, vômitos, enjôos, flatulência, vertigens, alterações intestinais (diarréia, prisão de ventre, atonia) e prurido retal. Exerce uma ação reguladora sobre os rins, devido a maior eliminação da água e das substâncias de refugo. Exerce um efeito protetor contra a arteriosclerose.
Indicação
Para aliviar os males gástricos e renais, diminuir o colesterol; grande auxiliar nos regimes de emagrecimento e no tratamento de hipertensão.
Considerada afrodisíaca e tônica.
Raiz e semente
Combatem os corrimentos vaginais e os sangramentos em geral.
A alcachofra é um forte diurético e eliminador do ácido úrico. Atuando contra as perturbações digestivas e na má assimilação ocorridas em função de distúrbios hepáticos provocados pelo álcool e pelo impaludismo. Os resultados são muito bons em nefrites (inflamação dos rins. A casca da babosa em uso interno e em excesso porvoca nefrite), e nos casos que necessitam de aumento da secreção biliar.
A água destilada de suas folhas, aplicadas nos cabelos, fortalece-os.
Emprego: recomendado nas doenças do fígado, vesícula biliar, colédoco e em todas as doenças dos órgãos do aparelho digestivo. Também são de grande utilidade nas alterações do metabolismo originadas por enfraquecimento ou insuficiência das funções renais. O alto teor de manganês apresenta utilizações dietéticas. Por isso é útil quando for necessária uma ativação dos fermentos, nas alterações do metabolismo celular e nos sintomas de deficiência da vitamina B (para quem é alcoólatra, ou bebe demasiadamente bebidas alcoólicas).
O preparo
Suco fresco, infusão ou como saladas e legumes.
Contra-indicação
Gestantes e em fase de amamentação e pessoas que possuam fermentação intestinal. Consulte um Fitoterapeuta.
O chá das folhas da base da planta colhidas antes da floração é tônico, reconstituinte, curativo das afecções do fígado, da bílis, estômago, rins e bexiga. Indicado para hipertensão, diabetes, tireóide, asma, pulmões, arteriosclerose e colesterol.
Uso: Colher as folhas e secar na sombra durante 8 dias. Com uma pequena parte fazer um copo de chá. Tomar 3 copos por semana durante três semanas. Intercalar 2 semanas.
Fonte: www.plantaservas.hpg.ig.com.br
Perfeita no prato
é uma planta de clima temperado a frio (média de 20 graus C) e áreas úmidas. Em regiões quentes vegeta bem, mas não forma os botões florais comestíveis.
De agosto a novembro, estamos em plena época de colheita da alcachofra. É quando a encontramos com ótima qualidade e melhores preços. São quatro as variedades mais encontradas no mercado: Violeta de Proença, Roxa de São Roque, Verde Lion e Verde Grande da Bretanha.
A maioria dos nutricionistas concorda: o ideal é consumir a alcachofra no mesmo dia da compra, pois ela começa a perder suas qualidades logo depois de colhida. Na hora da compra, recomenda-se escolher as que apresentarem talo longo e inflorescência firme e bem arroxeada. Para os apreciadores desta flor comestível, os "espinhos" só devem ser retirados após o cozimento - é quando chegamos ao gran finale da iguaria: o famoso fundo da alcachofra. Outro detalhe: recomenda-se consumir a planta logo após o cozimento ou preparo, para melhor aproveitamento de suas propriedades medicinais e nutricionais.
Dicas para preparar a alcachofra:
Corte o talo perto da base e lave a alcachofra em água corrente abrindo bem as pétalas para que a água penetre.
Deixe de molho em água com sal e algumas gotas de limão ou vinagre para não escurecer.
No cozimento, use panelas esmaltadas ou em aço inoxidável. As panelas de alumínio escurecem a alcachofra.
O tempo médio de cozimento é de aproximadamente 40 minutos, dependendo do tamanho e idade da alcachofra. Em panela de pressão o tempo cai para uns 20 minutos.
Para saber se a alcachofra está cozida, é só puxar uma folha: se ela se soltar com facilidade é porque está no ponto.
No cozimento, evite o excesso de água: coloque o suficiente para cobrir metade da alcachofra.
Os talos das alcachofras também podem e devem ser aproveitados. Para isso, é só retirar a parte fibrosa que os envolve, descascando-os com uma faca. Depois, deixe os talos mergulhados em água com limão ou vinagre durante alguns minutos e leve para cozinhar por 30 minutos ou 15 minutos em panela de pressão. 
Receitas:
Alcachofra dos Nobres
Corte as pontas das pétalas de 6 alcachofras grandes, deixando-as todas com a mesma altura. Retire as pétalas mais duras e esfregue as partes cortadas com limão. Ponha para ferver 8 xícaras (chá) de água com sal e coloque as alcachofras, junto com metade de um limão. Abaixe o fogo e deixe cozinhar por uns 30 minutos. Escorra e deixe esfriar.
Retire, cuidadosamente com uma colherinha, a parte fibrosa central de cada alcachofra, isto é, os "espinhos". Retire também todas as pétalas, cubra os fundos com papel alumínio e leve à geladeira. Enquanto isso misture num recipiente 1/2 xícara (chá) de azeite, 2 colheres (sopa) de suco de limão, 2 colheres (sopa) de vinagre, salsa picada, 2 colheres (chá) de mostarda e sal a gosto. Retire os fundos das alcachofras da geladeira e arrume-os numa travessa, sobre as pétalas reservadas. Espalhe por cima o molho preparado e leve novamente à geladeira, até a hora de servir.
Alcachofras à Romana
Retire os talos de 4 alcachofras, limpe-as e corte a ponta das folhas. Coloque-as em uma vasilha com água, sal e limão e reserve. Misture 1/2 pãozinho amanhecido e ralado com salsa picada e sal a gosto. Escorra as alcachofras, achate-as um pouco no centro, para formar uma cavidade entre as pétalas e recheie com a mistura. Leve as alcachofras ao fogo, em uma panela com um pouco de água e óleo. Tampe e deixe cozinhar até que as pétalas se soltem facilmente. Por: Rose Aielo Blanco*
Como servir e comer Alcachofra
SERVIR: É normalmente servida como entrada, no centro de um prato grande pré-aquecido, acompanhada com um molho. As folhas devem ser comidas com as mãos. O garfo e faca médios são usados somente para comer a parte final, onde as folhas ficam fixadas.
COMER: (Primeiro) O molho que acompanha a alcachofra é colocado na parte inferior do prato. Em seguida, com a mão esquerda segura-se a alcachofra, cuidadosamente, e, com a mão direita, puxa-se cada folha que é passada no molho e levada à boca (com a mão). A parte terna da folha é separada com os dentes e comida e a parte mais dura colocada no prato adequado; (finalmente, as mãos são lavadas na taça com água morna e limão). Para a alcachofra fria, é servido o molho Vinagret e para a quente, o molho Hollandaise ou Mousseline. Pão branco ou baguete acompanha as duas formas.
Bebida:
Para acompanhar a alcachofra é servido um vinho leve, meio doce, como o da uva Muller-Thurgau, Riesling ou da região de Borgonha.
Montagem da Mesa
1. Garfo médio do lado esquerdo;
2. Faca média do lado direito;
3. Prato grande (quente ou frio);
4. Prato de pão do lado esquerdo;
5. Faca de manteiga sobre o prato de pão;
6. Copo de vinho branco, 1 cm acima da faca;
7. Prato médio para colocar o resto das folhas;
8. Taça com água e limão para lavar os dedos;
9. Molheira com colher de molho;
10. Pimenteiro e saleiro;
11. Cesta de pão;
12. Guardanapo sobre o prato de pão
Fonte: Dálmio Moraes - Farmacêutico. Reportagem TVE. Programa Corpore Sano. Porto Alegre - RS.
Fonte: 1 - A Cura e a Saúde pelos Alimentos. Dr. Ernst Schneider. 2ª ed. Casa publicadora brasileira. São Paulo - SP. 1984. 507 p.

2 - Revista Curas Naturais - Editora Escala LTDA. São Paulo - SP. http://www.escala.com/.

Postagens populares

Minha lista de blogs

tang

Pesquisa personalizada
User-agent: Mediapartners-Google* Disallow:Abobora Doce Recheada Adimito Amendoas Bacalhoada Bolinho Caranguejo Bolinho Recheado Queijo Bolos Decorados Mecanico Calda Manjar Carne Receita Cerveja Creme De Maca Croqueta Frango Presunto Feito Cuscuz Marroquino Folhadinhos Rapidos Gelatina Abacaxi Hoteis Inquilinato Laranja Morangos Licor Ameixa Macas Glaceadas Massa Leitao Massas Yakisoba Menus Dia Namorados Microondas Pao Molho Requeijao Frango Molhos Especial Tender Muffins De Halloween Paelha Marisco Panquecas Ovos Pate De Caviar Pessego Receitas De Pimenta Limao Polpa Manga Receitas Castanhas Portuguesas Receitas Cheesecake Receitas Rapidas Natal Repolho Crespo Risotto Pato Saladas Vinaigrette Sobremesas De Copinhos Sopa Arroz Feijao Sopa Courgette Sorvetes De Damasco Souvlaki Spaghetti Receitas Tarte Espinafres Frango Tarte Fruta Natas Tomates Forno Video Racao Humana